27.9.11

.Como conhecer Roma com apenas 1 centavo no bolso!


[UPDATED]

Data: 28/09/11
Hora Local (Roma – Itália): 01h03
Hora do Brasil: 20h03


VOLTEI À ROMA! Que delícia. Fui meio contrariado, num tour que se chama “Rome on your own”, que te larga lá em Roma e tu faz o que quiser, paga ingressos e faz tudo como bem desejar. Normalmente ele é ruim, já que nos tours designados a um lugar específico você tem os tickets pagos e não enfrenta filas. Mas meu dia hoje foi uma odisséia, posso chamar meu tour particular de “The Best Of Rome Walking Without Spending A Cent, Or Maybe One”. Andei, andei pra caralho.

O tour te larga no Vaticano. Eu queria voltar ao Mvsei Vaticani, já que perdi todas as fotos da Capela Sistina, entre outras (Coliseu, etc...). Fui até a entrada do museu, mas a fila estava pra 40 minutos mais ou menos. Eu não quis perder tempo, mudei o rumo e segui para o Castel Sant'Angelo, que é a fortaleza do papa sob eventuais ataques ao Vaticano (é de lá que o Tom Hanks corre pra salvar o Carmelengo no  “Angels & Demons”, por dentro da muralha que separa Vaticano de Roma). Não entrei, mas é bonito de se ver por fora. Dali, parti para a Fontana di Trevi, era uma boa caminhada, mas no meio do caminho encontrei o Pantheon. MEUSDEUSES, fiquei impressionado. Uma das minhas melhores coisas em Roma, eu não esperava tanto desse lugar. É lá que esta a tumba de Raphael artista, entre outras entidades religiosas de mil novecentos e bolinha. Pesquisando depois ao chegar em ’casa’, descobri que é o templo mais bem conservado da Roma antiga. Data de 126 a.C e eu pude comprovar com meus próprios olhos de que, por dentro, está parecendo intacto (por fora ele ta batidinho mesmo...). Fui a fundo na pesquisa e vi que esse tipo de construção é um marco na história. Em Curitiba posso ousar chamar a Ópera de Arame de Panteão (apesar de faltarem os pilares e a parte superior triangular na entrada), porque a lógica da cúpula é a mesma. E fotos da UFPR antiga me dão a clara impressão dessa influência (nesse caso, hoje em dia a UFPR tem os pilares e o triangulo, mas falta a cúpula, que tinha antigamente). Enfim, voltei ‘bestiado’ com o Pantheon, o templo de todos os deuses. Chorante.

Pausa pra recapitular.

Depois dessa segui pra Fontana, que estava por perto. Delicioso refazer os passos que fiz 2 anos atrás com Vitor, Raphael e Amelia, meus co-workers da Princess. Exatos 2 anos atrás estivemos ali e eu joguei minha moedinha na fonte e encontrei meu brother Neguinho da Beija-Flor. Dizem que se você quer voltar à Roma, tem que jogar uma moeda no Fontana di Trevi. E eu o fiz 2 anos atrás, mas voltei à Roma outras 3 vezes depois daquela (mas não à Fonte). Funcionou. Em retribuição, joguei outras 4 moedas hoje: 3 pelas vezes que eu voltei e a última pra eu voltar mais uma vez. Só que fiquei com peso na consciência depois, porque a última foi de 1 centavo. Meu santo vai ter que ser muito forte pra aceitar essa oferta e me trazer de volta à Roma. Vamos ver.

Dali decidi subir (olhem no mapa pra entender) até a Piazza di Espagna. Não me perguntem por quê, mas esse era o lugar que eu sempre mais quis conhecer de Roma. Sempre me chamou atenção aquela escadaria, aquele monte de gente sentado fazendo nada, admirando alguma coisa, que sempre me deu curiosidade de saber o que era e hoje finalmente eu descobri (conto no final do parágrafo pra prender sua atenção). Pois bem, fui lá, tirei mil fotos da escada e, como não poderia faltar, sentei por ali mesmo. Acho que o que eu mais queria era sentar mesmo, depois de tanta pernada. Pra aproveitar o embalo, fiz minha farofada. Quem não quer perder tempo e nem gastar dinheiro com comida, leva lanche de casa. Eu escondi uns sandubas do café da manhã na mochila planejando fazer daquilo meu almoço. E foi. Pão e água, literalmente. E foi isso, finalmente fui lá onde eu mais queria, uma praça no meio do nada, com uma escadaria gigante, um dos pontos mais altos da cidade, que todo mundo senta ali pra apreciar o... NADA! Sério, não tem nada demais. É igual (se não pior que) sentar na escadaria da UFPR e ver o movimento da praça. Mas enfim, era o que eu tanto queria em Roma, e o fiz.

Ok, desse ponto em diante tudo era longe. Eu lá no topo do mapa e o resto das coisas todas no sul. Não tive escolha, desci a pé até o Coliseu. Dava pra pegar trêm? Dava. Mas quem tem pernas anda em Roma. Andei, andei, andei, andei e andei, mas achei a porra do Coliseu. Quando avistei ele de longe ainda gritei pra ele “te peguei seu puto!”. O Coliseu dispensa comentários e apresentações. Eu não fazia tanta questão de entrar lá, mas a idéia era re-tirar as fotos que eu perdi. Só que pagar 12 Euros pra ver uma coisa que tu já viu é foda. Fui todo lindo com meu crachá de “Escort Tour”, afinal, eu era um Escort Tour (só que não desse que entrava no Coliseu), me enfiei no meio de um grupo pra entrar sem pagar e quase, quase consegui. Só me fudi porque fiquei no final do pelotão. O jeitinho brasileiro não resolveu. Mas tudo bem, ganhei tempo precioso no final. Tirei as fotos que tinha que tirar do lado de fora i si mandei. O jeito era voltar tuuuudo aquilo de novo até o Vaticano. Fui beirando o rio pra mudar o caminho, passei pelo Circo Massimo, o pai dos circuitos ovais de Formula Indy (hahaha, exagerei acho) e fui seco pra visitar e botar minha mão na boca da Trakina Gigante (ta ligado aquela cara redonda de pedra que tinha no Shopping Muller antigamente [nos tempos do parque de diversão indoor], que você colocava sua mão na boca dele e ele te dizia algumas verdades? Então, é desse que to falando... mas do original), mas ele fica dentro de uma capela (Santa Maria in Cosmedin) que, infelizmente, estava fechada.

Andei pra cacete até chegar novamente no Vaticano. Decidi espiar a fila do museu de novo e, tchrammm, não tinha fila nenhuma. Cheguei na hora certa. E, melhor ainda, não precisava pagar os 15 Euros hoje pra entrar, já que estamos na Settimana Della Cultura em Roma e não se paga pra entrar em museu nenhum. Viva! Pois bem, corri, corri, corri até chegar no Michelangelo. O resto do museu é lindo, mas eu já tinha visto. Mas, a Capela Sistina, é fenomenal. Era minha meta recuperar minhas fotos (proibidas) de lá. O jeito era correr o risco e tirar outras fotos (pois é, é proibido tirar fotos dentro da Capela Sistina da obra de Michelangelo). Eu fico fudido da cara do quanto aquilo é foda. Aquela parede com o Juízo Final é um absurdo. Aquele teto... garanto que foi Michelangelo que inventou a história em quadrinhos ou, pelo menos, as tirinhas. Aquele teto é uma tirinha da criação da humanidade, onde a cena principal é aquela cláááááássica do dedinho de Adão indo ao encontro do dedo de Deus (nesse caso, "O nascimento de Adão"). Estar ali, 20 metros abaixo da criação da humanidade é algo que eu nunca vou conseguir descrever, então não tem porque eu continuar tentando. Tirei minhas fotos proibidas e fui embora.

Faltavam 15 minutos pro meu ônibus sair de regresso à Civitavecchia, mas como missão de vida eu quis entrar dentro da Basílica de San Pietro, só pra provar pra mim mesmo que dava pra ver tudo de Roma num dia e a pé. Bem, fui, corri, entrei, tirei meia dúzia de fotos, e corri pegar o ônibus. Tudo em 15 minutos. Claro, exagero meu dizer “tudo de Roma” mas, garanto, são os principais pontos turísticos. Eu consegui! Há!

Nunca pensei que fosse possível fazer tudo que eu fiz em um dia, quanto mais a pé. Se você tem disposição, faça! Dá pra pegar trêm, dá pra pegar taxi, dá pra pegar ônibus... mas o prazer deliciante de aproveitar cada viela, cada semáforo, cada pedacinho de Roma com seus próprios pés,
é impagável! (Impagável literalmente, porque sai de graça, enquanto todos os outros transportes são uma fortuna...).

- ROMA, te quero! Ciao Bella, não devo regressar tão cedo. Mas se a moedinha de 1 centavo serviu, nos vemos algum dia de novo! ;)

Arrivederci!

13.9.11

.embaixador internacional. Ou seriam embaixadinhas?



Data: 14/09/11
Hora Local (Livorno – Italia): 03h44
Hora do Brasil: 22h44

Que ótimo, perdi meu arquivo do Word com os posts do blog. Eram tipo umas 50 páginas. Mas tudo bem. Meu Mac deu pau outro dia, tive que formatar e reinstalar tudo (na real, o Time Machine fez isso pra mim...). Enfim, nunca achei que eu fosse precisar formatar um Mac, mas fiz. Perdi poucos outros arquivos também, mas tudo bem.

To aqui escrevendo depois de séculos sem aparecer aqui. Não tenho muito pra contar. A vida por aqui já está no ritmo certo, sem correrias, já tenho o respeito do povo (menos dos meus funcionários). Quando eu digo que não, é não (menos pros meus funcionários). Quando eu não gosto de alguma coisa, eu falo e o povo respeita (menos os meus funcionários). Na medida do possível, ta tudo bem. O itinerário já ta começando a cansar um pouco, mas só temos mais 3 semanas no mesmo até mudar, então tudo bem. Ainda não voltei pra Roma e preciso fazer isso antes que mude. Talvez pra Pisa também. É um pecado estar tão perto e não aproveitar tudo isso. Amanhã estarei indo pra Florença pela primeira vez. Também, tão perto, mas nunca fui. É que sempre é um trampo organizar essas coisas, ir pra outra cidade e ter que voltar a tempo pra não perder o barco. Mas a gente consegue com um pouco de força de vontade. Enfim, depois conto como foi Florença.

Uma coisa que fiquei de contar é sobre o desapego. Outro dia saí com a Cris, DJ brasileira, que já se foi, em Ajaccio/Corsica/França. Nossa meta era achar um bar, um boteco, que não fosse conhecido por ninguém, fora da rota pop. E achamos o mais mequetrefe possível, aquele atirado às moscas (tipo o Bar da Tia Clara, em Pinhais). E a gente não poderia ter feito melhor escolha. Conhecemos o dono do bar, o Miguel, nativo, gente finíssima. Ficou encantado em ter-nos em seu bar, gente nova (já que seu bar era [pouco] populado por gente velha e nativa) e ficou lá batendo papo com a gente, com seu pouco inglês que conseguia falar, e nós com o nosso pouco francês que podíamos entender. Com gestos e poucas palavras, ficamos amigos. Apaixonado por futebol, perguntou meu time. Eu disse ”Corinthians”, com orgulho. E ele até comentou sobre o Ronaldão ter se aposentado no Corinthians. Entende de futebol. Então me pediu uma flâmula de um time do Brasil. Eu só tinha minha bandeira do Corinthians e uma do Brasil, no navio. Prometi dar-lhe. Na semana seguinte, voltei lá e no que eu apontei na porta do bar ele já me chama pelo nome, com os olhos brilhando por eu ter comparecido, como prometido. Dei-lhe minha bandeira do Corinthians, que me acompanha onde vou desde 1999, do tri-campeonado brasileiro, e a do Brasil, que me acompanha onde vou desde 1994, do tetra-campeonato. Dei a Miguel com orgulho, sem remorso. Não sei porque, mas me senti bem fazendo isso. Algo como criar laços internacionais, foi meio que um tratado de paz entre nossas Nações. Ele ficou muito feliz, porque cumpri a promessa. Em troca ele me deu uma garrafa de vinho rosé, fabricado em Ajaccio mesmo, um queijo fedorento e dois salames embolorados. São daqueles caros, sabe? Agora estão ali, fedendo no meu frigobar, vou ter que jogar fora, porque não tive coragem de comer. haha Mas não pude recusar, porque foi um ato de generosidade da parte dele também, uma forma de contribuir por eu ter cumprido com a palavra. Ele até disse isso em francês e eu fui capaz de entender. Como disse a Cris depois: “agora você tem um amigo pro resto da vida”. E é, Seu Miguel, nunca vou esquecer dele. Se eu voltar lá no bar daqui 10 anos, tenho certeza que minhas (agora dele) bandeiras vão estar lá estendidas em sua parede, com a minha dedicatória: “to my friend Miguel, the best team of the world”. E ele me questiona: “are you sure?”, torcedor apaixonado de um clube da terceira divisão do futebol de Ajaccio (é mais ou menos como torcer pro XV de Piracicaba). Me senti bem fazendo isso, me desfiz de coisas importantes pra mim. Em troca, São Jorge nos ajudou a vencer o Flamengo no mesmo dia, num jogo sofrido, de virada, por 2x1. Era a semana do 101o aniversário do Corinthians. Era a semana da Independência do Brasil. A semana em que eu comecei uma verdadeira amizade com o nativo de Ajaccio Miguel, dono do Bar La Vilette que, se duvidar, foi freqüentado por Napoleão Bonaparte séculos atrás. (Ajaccio é a cidade onde ele nasceu, só pra informar. E o La Vilette fica umas 8 quadras da casa onde viveu Napoleão).

Acho que por hoje é só. Vou deixar esse post dedicado ao Miguel mesmo.

Tiau.

21.8.11

.quem tem Boca é argentino. Argentino vai à Roma?




Data: 19/08/11
Hora Local (Ajaccio – França): 04h49
Hora do Brasil: 23h49

Pois no post anterior eu falava de mudanças, mas já mudou muita coisa de novo. Primeiros dias como head foram super difíceis, muita merda acontecendo ao mesmo tempo e, claro, tudo acontece depois que todo mundo foi embora. Chegou um BT americano que deveria ser bom mas, como sempre, os new hire são uns perdidos (já fui um dia) e só fazem merda, mas com tempo eles entram no eixo. Na mesma semana, chegou outro BT, o Fabiano, brasileiro, esse sim mais experiente, foi o que me deu certa tranqüilidade pra continuar meu trabalho. Se fosse outro new hire eu tava bem fudido. A história é que os 3 formam um completo novo time de broadcasts por aqui, e todos estavam perdidos na primeira semana. Imagine a zona!

Mas as coisas começam a melhorar. Todo mundo já ta mais ambientado, mas os dias últimos foram difíceis. Muito equipamento quebrando ao mesmo tempo e tu tem que contornar a situação, porque o show tem que continuar, literalmente! Ficamos sem satélite por vários dias, porque esse é um satélite (na linguagem casual, sem entrar em termos técnicos) que eu nunca tinha metido a mão e tive que aprender na marra. Fuçando e fuçando, fui aprendendo e fodendo com a coisa, achei que tinha quebrado tudo. Gente no meu pé cheio de reclamações, 2000 guests espanhóis querendo ver o jogo do Barcelona x Real, até que consegui o segundo tempo num canal pirata e depois levei uma juntada porque começou a passar pornografia depois do jogo, quase fui mandado embora (sério!). É foda, a gente tenta ajudar e acaba se fodendo. Foi muito stress por conta desse satélite, mas hoje finalmente consegui botar ele na rota de novo e ta tudo em paz. Ponto pra mim. A culpa é sempre do equipamento.

Hoje também o todo poderoso Hotel Director (chefe do meu chefe) reclamou pra mim que a TV do SPA tava quebrada fazia semanas, mas eu só fui avisado ontem a noite e ele não quis acreditar. Fiquei puto e fui lá e troquei ela por uma nova na hora, pra provar que se eu soubesse antes eu já teria trocado. Ponto pra mim.

Os putos Bee Gees cover chegam 2 horas antes do show querendo que eu coloque gráficos durante o show deles. Falei que não dava tempo, por culpa deles, porque isso tem que ser pedido dias antes. Mas, mesmo assim, eu fiz e ficou lindo. Ponto pra mim, seus putos!

O Fabiano será promovido pra HBT e seria transferido pra outro navio e eu ficaria aqui. Botei na cabeça dele e do escritório em Miami que seria melhor ele ficar aqui (e é!), já que já estará ambientado e poderá prestar um serviço melhor no seu primeiro contrato como HBT. E, por conta disso, eu iria pro outro navio no lugar dele. Foi aceita a proposta. Ponto pra mim, porque foi como eu queria.

O clipe da Nuvens foi lançado hoje, a tempo, antes do show de Sábado. Ponto pra mim, por inumeráveis [sic] motivos.

Eu acordei de mau-humor mas fui dormir cantando. Assim vale a pena.

E pra efeito de registro, fui essa semana à Roma e ao Vaticano numa excursão de turistas, sem pagar nada (eles pagam mais de $200) e foi muito, MUITO foda. Roma é impagável, inacreditável. Entrar no Coliseu e saber exatamente o que se passou por lá em 2000 mil anos de história é fenomenal. Entrar no Museu do Vaticano e ver de perto, com seus próprios olhos, e poder tocar em esculturas de Michelangelo, é terrivelmente foda. E ver, só ver, o teto da Capela Sistina é simplesmente chorante, inacreditável. A Basílica de San Pietro, a maior do mundo, projetada por Michelangelo também (meu ídolo), com a tumba (tradução mais próxima do inglês, acho) do papa JP II ao alcance de suas mãos, e do papa Pio seiláquenúmero também, é algo de perder o fôlego. O altar das missas de domingo e o cenário do Anjos & Demônios (não tem como não pensar no filme) são coisas fodas de se ver, de tocar, de sentir. Roma é sem palavras. Vaticano é incomparável. A imagem do teto da Capela Sistina é algo que nunca vai se apagar da minha memória. Tenha boca e vá!

Só 3 lugares no mundo me fizeram chorar até hoje: Paris, Roma e Curitiba. São lugares que quando eu piso eu penso: “como é que eu vim parar aqui?”. Meus lugares preferidos no mundo, indiscutivelmente.

Voltando a falar dos guris que trabalham comigo, só queria comentar que um tem 34, outro 36. É foda eu, com 26, ser o chefe deles. Mas me dá muita moral no navio, porque ninguém bota fé que eu sou o chefe da TV a princípio. Haha Outro dia um retardado oficial veio me falar merda e falou algo do tipo “pergunta pro seu chefe”, daí eu me fiz de bobo e falei que ia perguntar e saí fora. Ele vai ficar esperando pra sempre a resposta pra largar mão de ser besta. Haha

Os dois guris são super simpáticos e falam com todo mundo. Eu vivo de cara fechada e só falo com quem fala comigo. Acho que é isso que me dá moral, sei lá, não fico me abrindo. Mas não faço isso de propósito, é só meu humor pra estar aqui mesmo, passou a fase de nhém nhém nhém. To aqui pra ganhar dinheiro, não pra ser simpático e fazer amigos. Mercenário mesmo. To trabalhando pra caralho, só venho pra minha cabine pra dormir (porque ela fica loooonge! Essa é a desvantagem de navio grande), demorei 3 semanas pra desfazer minhas malas, saí do navio só 2 vezes. To fazendo minha parte, consciência tranqüila. Mas não me apeguei a esse navio e por isso to feliz de ser transferido. Seria fácil ficar aqui depois que essa fera for dominada, mas eu gosto de ir atrás da novidade, do mais difícil, da mudança, do desconhecido. Vou em busca de outra fera pra dominar, assim como os gladiadores romanos. =)

Boa noite pra você no Brasil. Bom dia pra mim.
For the record: todopoderosotimão!

Tiau!

20.8.11

.on a voyage to Adventure




Data: 29/07/11
Hora Local (At Sea – Mar Mediterrâneo): 17h11
Hora do Brasil: 12h11

Pois bem, meu primeiro cruzeiro vai chegando ao fim à bordo do Adventure of the Seas. Muita coisa nova, muita coisa mudando em tão pouco tempo. Eu que seria um traveller, agora devo ficar por aqui pelos próximos 7 meses. Notícia que não me agrada tanto, mas também não chega a ser das piores notícias do mundo. E quando cheguei aqui, me deparei com todo mundo indo embora na mesma semana. Um assistente foi embora no dia que eu cheguei, sem ninguém pra vir no lugar dele. O outro vai embora amanhã, sem ninguém pra vir no lugar dele. O Head Broadcast vai embora daqui 3 dias, e eu fico no lugar dele. Quer dizer, no lugar dos 3. Justo isso? Claro que não. Mas, tá, exagerei, porque essa era a notícia que eu tinha quando cheguei e entrei em desespero, porque tudo que eu tinha que aprender da minha parte já era muito, mais o trabalho de mais 2, quase pensei em desistir. Mas ontem veio a notícia de que vão me mandar mais 2 assistentes, só que um é novo na companhia e chega amanhã, então seremos 2 perdidos no próximo cruzeiro. O outro, já experiente, acabou de ser promovido pra HBT (como eu) e chega no meio do cruzeiro. Não sei se fico feliz ou triste, porque se o cara acabou de ser promovido, das duas, uma: ou ele se comporta e tenta aprender mais um pouco e me respeita como chefe dele; ou ele se torna um FDP que acha que sabe tudo e vai ser sempre contra às minhas decisões. Eu espero que ele seja do primeiro tipo. Mas, de qualquer forma, ainda assim seremos 3 novatos neste navio, o que já é uma grande merda. Pelo menos um tinha que ser das antigas, porque tem muita ‘coisinha’ que precisa ter as manhas, até que eu me adapte completamente ao navio e possa ensinar o guri novo propriamente. Ensinar coisa que nem eu sei ainda vai ser foda. Mas vamos ver no que vai dar. Já to menos desesperado do que antes nesse momento.

De resto, tudo bem por enquanto. Minha mala foi encontrada e está no aeroporto de Málaga me esperando, vou buscá-la amanhã. Não dei falta de nada importante ainda, além de roupas, claro.

O navio é enorme, lindo. Mas pouca coisa funciona propriamente do que diz respeito à TV, precisa de muita manha, como eu disse antes. Minha sala é gigantesca, tem 2 andares, um deles é um “aquário” onde todo mundo fica vendo o que a gente faz. É bonito, mas pouco confortável nesse ponto. Além do booth no Studio B, outro “aquário”, mas que não funciona, literalmente. Essa classe de navio é uma das maiores, tem o Promenade Deck já, que é uma “rua” que vai de ponta a ponta do navio com lojas, restaurantes, bares, etc... muito bonito. Mas, sinceramente, eu vejo pouquíssimo de tudo isso, já que trabalho mais no escritório. Os assistentes é que vão circular mais por essas áreas pra filmar coisas e etc. Eu fico mais no subsolo fazendo o trabalho sujo. Do meu quarto não posso falar mal, porque ele é maior do que todos os outros que já tive nos navios. Mas também devo mudar pra cabine do HBT assim que ele for embora e eu tomar as rédeas das coisas, mas acho que a cabine dele é igual a essa que eu estou temporariamente. Sinceramente, até sobra espaço. A cabine que eu tinha no Majesty tava de bom tamanho. Mas não posso reclamar, né?!

E, putz, acabo de lembrar que anteontem fiquei preso pro lado de fora da cabine as 5h da manhã só de cueca. Funny! Acontece é que soôu um alarme numa cabine do lado do detector de fumaça, daí eu acordei no pulo e abri a porta pra ver o que tava acontecendo. Não vi ninguém, achei que eu tinha sonhado (só descobri que era o alarme de fumaça no dia seguinte quando me contaram), daí fui espiar no outro corredor e no que eu olho pra trás vejo minha porta batendo. Si fodi! A porta só abre com chave do lado de fora, ela tranca automaticamente. E a chave, claro, estava dentro da cabine. Daí liguei pro segurança pra vir abrir pra mim (eles tem a master) e eles demoraram mil anos. Fiquei ali sentado na frente da cabine, 5h da manhã, de cueca, esperando. Lindo, né? Daí tive que explicar o que tinha acontecido antes que me prendessem por atentado ao pudor. Hahahaha Só sei que foi trash! A Marion é que não vai gostar nada dessa historia. Mas ninguém me viu assim (alem do segurança) ta bom, meu bem?

Brasileiros até que tem bastante. Uns 20, acho. Não conheci nem metade ainda. Portugueses tem bastante também, então vai dar pra falar bastante português durante o contrato. E tem muito espanhol viajando. Eu gostava deles, mas essa semana não pudemos parar em Livorno (caminho pra Pisa) e eles fizeram um fuzuê enorme, fazendo complô na frente da recepção, foram na Captain’s Meeting só pra criticar e blá blá blá... Então eles caíram muito no meu conceito depois dessa. No Majesty, que a gente vivia perdendo porto (e eram só 3), ninguém nunca reclamou.

E, bem, terminei de ver todos os episódios de todas as temporadas de The Office, então que to sem nada pra assistir. Eu devia ter baixado muita coisa antes de vir, mas não o fiz. To vendo na TV agora o Two and a half Man. Nunca gostei desse, mas agora até que to curtindo. Só que não gosto porque não tenho controle dos episódios que to assistindo. Se é pra ver, queria ver desde o começo. Sou chato pra essas coisas (e pra muitas outras também).

Acho que tá bom pro primeiro post daqui.

Bye.

22.7.11

Rapidinha no hotel

Data: 23/07/11
Hora Local (Málaga - Espanha): 02h45
Hora do Brasil: 21h45


Só pra comentar que cheguei vivo. Tô no hotel em Málaga.
Depois de 4 conexões, a SPANAIR conseguiu perder minha bagagem. To com a roupa do corpo e uma mala que não tem roupa dentro. Ótimo! Se eles vão achar minha mala não sei, mas mesmo que achem só devo ter ela em mãos daqui 1 semana, quando o navio voltar pra Málaga.


Pelo menos o hotel aqui é bacana. Acho que ganha dos que eu fiquei em Miami todas as outras 3 vezes na véspera do embarque. Apesar de que iam me meter pra dividir um quarto com outro guri da Royal, daí mexi meus pauzinhos e consegui ficar sozinho, porque agora eu tenho moral, né?!


Por falar em moral, em Munich/ALE, não tem a imigração chata igual tem em Miami, mas tem policiais federais à paisana te parando e pedindo pra ver seu passaporte, escalas, documentos em geral. Me pararam 2 vezes no aeroporto. Será que tenho essa cara de marginal assim? Enfim, pediram meus documentos e eu dei de boa, mas depois de folhear o passaporte e ver meia dúzia de carimbo na página do visto americano eles acalmaram. E acho que o fato de falar inglês ajuda bastante, porque se eu não falasse eles deveriam me levar pra uma salinha com tradudor e bla bla bla, já que em alemão eu não falo nem "oi". Ele até perguntou (em inglês) se eu falava alemão. Aí devolvi perguntando se ele falava português e ele riu. E até bom eu não falar alemão, sendo que eu estava só de passagem, se não era capaz dele achar que eu ia ficar por lá mesmo. Mas, enfim, não deu em nada. Fiquei 1h30 na Alemanha (ou no aeroporto de Munich, melhor dizendo) e foi tudo que eu conheci desse país.


Sobrevoei a França de ponta a ponta duas vezes no mesmo dia. Pra chegar na Alemanha e depois pra chegar na Espanha. Que desperdício, né? Eu podia ter pulado de pára-quedas na ida. E sobrevoei também a Suíça, numas montanhas de gelo que eu nem sei se tem nome certo. Mas muito bonito.


Na escala de Barcelona/ESP eu tinha 6 horas. Claro que saí. Fui até a Praça de Catalunya, andei nas Ramblas. Foi bom estar ali de novo. Adoro Barcelona. Adoro! Mas almocei e voltei pro aero cedo, pra não ter risco de perder o útimo vôo até Málaga.


Bom, é isso. Vou dormir porque já são quase 3h e eu preciso pular da cama às 7h. Sem falar que as 5h à frente no fuso-horário me foderam bastante, juntando com poucas horas dormidas no avião...tô podre.


Me desejem boa sorte no embarque amanhã. E boa sorte pra que eu encontre minha mala algum dia.


Tiau.

19.7.11

.hasta la vista, baby

Data: 19/07/11
Hora Local (Curitiba/Brasil): 16h10
Hora do Brasil: 16h10


A dor do parto é grande, mas eu tenho que partir.


Dois meses de férias que passaram voando. Podia ter passado navegando, que é mais de mansinho.


Daquela minha lista não sei se fiz tudo, mas fui muito mais do que eu esperava. Trabalhei o tempo inteiro. Dirigi um clipe para a banda Nuvens e terminei de editar agora o video sobre o livro da Didi Wagner (ex-MTV) em NY. Também perdi muito tempo mexendo no carro, arrumando uma coisinha aqui e outra ali (ele tá na oficina agora, por sinal) e gastei muita grana com isso, sem falar nas multas de trânsito que eu tomei. Nessas horas me dá saudade da vida no mar, porque não tem carro, não tem trânsito, não tem radar (só sonar), a gente não gasta dinheiro com nada e ainda acorda cada dia num país diferente. Ô delícia! Mas essa delícia não deve durar muito, tô pensando seriamente em me aposentar da vida no mar. Não garanto nada, mas tudo tem se encaminhado pra isso. O que contribui nessa decisão é a "minha respectiva". Chega de um amor em cada porto (como se tivesse sido assim um dia), porque agora meu amor tá em terra firme e daí fica complicado viver no mar. Mas vamos ver como tudo se encaminha e pensar com calma. Ainda tenho 7 meses pela frente pra decidir.
Não ando muito empolgado pra embarcar, mas sei que chegando lá eu me animo. Preciso me animar! Vou estar em 3 navios diferentes ao longo dos 7 meses, muita gente nova pra conhecer, muitos países pra explorar, muita gente criando expectativa com meu trabalho, afinal de contas, terei 3 membros na minha equipe dessa vez. Não vai ser moleza, e eu nunca quis que fosse. O desânimo é só por conta de deixar meus amores aqui: família, meus sobrinhos lindos, amigos e namorada.


Mas vamos ver no que dá. As notícias vou postando aqui, ou não. Tudo depende. Tudo depende!


Um beijo pra quem fica.
Vou lá fazer as malas, porque tem 4 vôos me esperando até chegar em Málaga/ESP.


Tiau!


.

30.6.11

GP de CocoCay de Power Wheels

Essa é uma corrida que disputei com meu amigo Jonhweyne em CocoCay no ano passado, e perdi as duas baterias. Mas é porque não me contaram que o carrinho tinha turbo e eu fui só na marcha lenta. Sacanagem!


Só pra relembrar os velhos tempos, enquanto eu não tenho novidades.

.

17.6.11

Sail Away in Miami

Pois é, enquanto eu não posto minhas novidades das férias (que nem são muitas), eu posto mais um video que eu fiz à bordo do Majesty of the Seas, curtinho, só pra matar a curiosidade de alguns e pra vocês verem como é o sail away do meu barquinho saindo de Miami.


Foi gravado com a minha camerazinha linda e nova GOPRO, esse aí foi só um teste.


.

30.5.11

.broadcast room tour

Que tal um 360 no meu escritório?
Blog de videoman que não tem vídeo é feio, né?


Essa é minha sala. Escura, fria (muito fria), sem janelas, no porão (quase literalmente) do navio. E ali eu vivo feliz, livre de hóspedes e crew, trabalhando na paz e tranquilidade. Eu sei, eu sei que não posso reclamar. Mas nem tô reclamando! Eu agradeço, isso sim. ;)

26.5.11

.casa, sweet home

Data: 26/05/11
Hora Local (Curitiba - Brasil): 04h42
Horário de Brasília: 04h42


Pois bem, cheguei. Já tem bem 3 semanas, omg, como o tempo passa depressa! É bom chegar em casa, bom rever os amigos. Depois de tanto tempo longe, tu vê todo mundo numa semana e se sente como se nunca tivesse partido, porque a vidinha por aqui continua igual, só você que voltou cheio de bagagem e histórias pra contar. E você tem que repeti-las over and over again pra cada um que te pergunta. (mas os detalhes, com fotos e vídeos, só pr'os melhores amigos).


Não fiz muita coisa desde que cheguei. Primeira semana me meti a arrumar o carro. Não que estivesse estragado, mas depois de ter ficado tanto tempo longe dele eu decidi que ele merecia cuidado especial. E depois d'ele ter ficado bonito, eu bati. Na verdade, bateram em mim. Na verdade verdadeira, os dois se bateram. haha Estragou minha lateral inteira, ponta-a-ponta, mas tudo bem. Lá se vão outros milão no martelinho de ouro...


Segunda semana comecei a trabalhar. Na verdade, comecei um projeto com meus amigos do Nuvens que sempre quiseram que eu trabalhasse com eles. Iremos gravar um video clipe. Boa hora, agora que nossos amigos d'A Banda Mais Bonita da Cidade estão fazendo esse sucesso todo. Tenho me dedicado a isso nos últimos dias.


À parte de toda essa história, teve o aniversário da minha sobrinha (1 aninho!) e o meu, que será amanhã! Os últimos dois foram em alto-mar (#24 e #25). Velhice à vista! Nada de muita festa, só um choppinho com os camarás amanhã no Bar do Alemão. Todos convidados.


E, bem, hoje perdi umas horinhas pra botar esse blog em dia. Já dá pra notar algumas diferenças na barra lateral, com o "like" do Facebook e do Twitter ali no topo. Se você gosta desse blog, aperta ali. Se você não gosta, tem um X lá no topo direito (pro seu Windowns meia-tijeta) ou no topo esquerdo (pro seu Mac foderoso). Mas esses sempre estiveram lá, os "like" é que são novos. E agora só um post por página, o que me facilita a vida com esses comentários bacanildos do Facebook aqui em baixo, dá pra virar uma conversa entre todo mundo. Apesar de ninguém comentar nesse blog, eu achei legal o gadget e botei ele ali. Quem sabe assim o povo se anima de comentar. E também joguei meus tweets e seguidores desse blog ali pra baixo, pra equilibrar. 


Espero que gostem. Na real, não espero que ninguém mais goste, porque eu já gostei e vai ficar assim por mais que você tenha odiado. haha que crueldade! Enfim...


Deixa eu ir dormir, porque já é 5 da matina.


Tiau!

5.5.11

.nove meses ainda nao, so novidades

Data: 05/05/11
Hora Local (At Sea): 21h33
Hora do Brasil: 22h33

Falta acento porque to postando direto do blogger no PC de trabalho. Enfim...

To indo emboraaaaaaaaaaaa! Sim, amanha, finalmente, depois de quase 9 meses. Posso dizer que esse contrato foi um parto.

Minha temporada no Monarch nao foi das piores. Tive excelentes momentos, porque conheci pessoas incriveis que me deram boas memorias e historias pra contar pra todo mundo la no Brasil. Valeu a pena!

Eh dificil imaginar que dentro de poucas horas estarei dentro de um aviao indo pra casa. Ja nem sei mais como eh esse sentimento, ja faz tanto tempo da ultima vez. So sei que quero ir, preciso ir. O proximo contrato ja esta na ponta da agulha, com contrato assinado, passagens compradas. Mas ainda preciso pensar nessas ferias de agora, curtir ao maximo, descansar bastante, pra dai cansar bastante tudo de novo. Muitas coisas virao, mas por agora quero pensar e re-pensar nas coisas que ja vieram, lembrar dos meus bons momentos (a maioria) e aprender com os momentos nao tao bons.

To voltando com 4 malas. Eh o meu record. Nem comprei tanta coisa assim, mas sei la, as malas decidiram se multiplicar. To voltando com mais dinheiro do que planejei, o dobro da vez passada. Nao posso reclamar, porque nao posso dizer que economizei o contrato inteiro, porque nao economizei com nada. Gastei feito um playboy (a Caitlyn me chamou de playboy outro dia e eu tive que rir), mas mesmo assim juntei a grana que eu precisava e merecia. Claro, o aumento de salario ajudou na soma final, e estender o contrato tambem. Foram 2 salarios a mais na conta. Vou embora com o pensamento de dever cumprido.

E nao sei que aconteceu, mas esse blog ta recebendo quase 100 visitas diarias. Comentarios sao bem-vindos, folks.

Valeuzes! Um beijo pra quem fica. Te escrevo de novo so la do Brasil.
Tiau!

19.4.11

.oi, oi, oi, oito pilhas um real

Data: 18/04/11
Hora Local (Cape Canaveral – USA): 21h16
Hora do Brasil: 22h16

Oito meses se passaram e eu ainda estou aqui. Quem diria que eu agüentava tanto?! É uma prova de superação a cada dia. Só mais 2 semaninhas e casa, aleluia!

Meu segundo navio do próximo contrato vai mudar de rota, vai voltar pro Caribe e eu vou ser o Head Broadcast do crossing, super responsa, muito o que aprender e um desafio novo a cada dia, dos 14 dias cruzando o Atlântico. Até me animei, apesar de não me animar o fato de voltar pro Caribe. Mas vou conhecer países novos, como Jamaica, Porto Rico e Haiti. Apesar de que vou perder a rota do Egypt, como era pra ser o itinerário antigo. Vamos ver, vamos ver. E eu vôo de Málaga pra Roma, o que me anima bastante. Espero que a minha overnight seja em Roma, apesar de eu adorar Málaga. Mas Roma é Roma, né? Se vocês virem no Jornal Nacional Roma pegando fogo vocês já sabem quem foi. Muahaha!

A vida no Monarch vai chata, entediante, mas creio que boa parte disso seja por conta de eu estar contando os dias pra voltar pra casa. Não que eu esteja adorando voltar pra casa, mas me sinto cansado demais, desgastado, sabe como? Preciso da minha cama, meus amigos, família, meu carro, minha cidade, meu friozinho curitibano, aquela cervejinha n’O Torto, cachorro quente com duas vinas da esquina de casa e essas coisas triviais da vida de um desempregado por 2 meses. Apesar de que todo mundo ta fazendo mil planos pra mim, tenho trabalho em meia dúzia de lugares já, quando na verdade eu não faço muita questão de trabalhar durante as ferias. Layzura total. Mas farei um sacrifício. Pelo menos não gasto todo meu dinheiro.

As loiras, morenas, negras por aqui não me deixam em paz, e isso me agonia tanto. Não é como vocês devem estar pensando, não to pegando todo mundo de todas as cores, raças e amores, mas mesmo assim. Foda. Quando tu ta bem com alguém, aparece outro pra te encher o saco, dai quando tu resolve com alguém, aquilo que tava bom já se estraga também. Puta vida injusta. Nunca dá pra ficar de bem com todo mundo ao mesmo tempo. Mas não vou reclamar de coisa pequena porque tem gente com mais problemas do que eu, então to reclamando porque não me sobra mais nada pra fazer nesse momento.

Coisas que eu quero fazer nas férias:
- Dormir das 6 da manhã às 6 da noite.
- Cachorro quente com duas vinas.
- Churrasco com Skol no Roger, Isaías e Cristofer. E truco virando a noite.
- Kart no Autódromo de Pinhais.
- Shows de bandas que eu gosto e das que eu não gosto.
- Curso de tiro. (não fique com medo porque ainda não virei psicopata)
- Alpinismo no Ahangava.
- Saltar de para-quedas em Boituva.
- Ir pra Floripa no Costão.
- Ir no cinema ver blockbuster e comer pipoca.
- Ir na Cinemateca e fazer de conta que ainda conheço cinema.
- Gravar um filme com o Henrique.
- Fazer seja lá o que for com a galera do Nuvens.
- Se der, mais um comercialzinho dos grandes com o Hermes.
- Ensinar a Isadora a falar titio.
- Sair com o Lucas, seja lá onde ele queira ir.
- Tomar café passado.
- Rejuvenescer os 2 anos que eu envelheci nos últimos 8 meses.
- Assistir Jornal Nacional, novela e Sessão da Tarde.
- Downloadear tudo que eu conseguir numa internet rápida.
- Esquecer que Caitlyns e Melanies um dia existiram.
- Conhecer as dançarinas gatas de Curitiba, porque não conheço nenhuma.
- Raspar a cabeça e não fazer a barba. (não ajuda muito com as dançarinas, mas...)
- Ir bate-e-volta almoçar em Caiobá num final de semana qualquer.
- São Paulo e Rio não faço questão dessa vez.
- Ficar longe de academia e de qualquer esforço físico. Menos futebol.
- Comprar um All Star azul novo.
- Cavocar DVD na cesta de R$12,90 das Americanas.
- Comer trakinas.
- Compor uma música legítima de Arnaldo&Anselmo&Andressa.
- Tocar violão no quintal.
- Tocar bateria na garagem.
- Acordar cedo. Mais só um dia, só pra constar.

Será que dá tempo? Nunca dá, mas não custa sonhar. “Por que não?”, diria Caetano.

Good bye.

.txt

Data: 28/03/11
Hora Local (Cape Canaveral – USA): 22h10
Hora do Brasil: 23h10

Incrível como as coisas acontecem da maneira oposta de como você planeja.

Casa nova, enfim. Na verdade, ela é mais velha que a antiga casa. Se eu já não gostava daqui, agora acho que gosto muito menos. Tudo velho e caindo aos pedaços. Mais difícil de fazer as coisas simples, mas vou dar conta do recado. São só 5 semanas. Minha cabine temporária fica do lado do incinerator, uma maravilha! E só pra entrar aqui já foi um parto, quase me mandaram embora pro Brasil, e eu ia me foder bonito com uma mala cheia de coisas que eu deixei no MJ pra pegar quarta-feira com a Fran. Mas fiquei e vou permanecer aqui, como prometido, até maio.

Eu que esperava encontrar a felicidade por aqui, só achei tristeza por enquanto. Até já consegui brigar com a minha louca predileta. “I’m not gonna call you again, ok? Bye”. Ta definido mesmo que a gente só se dá bem quando tá de longe e se vendo de vez em quando. Diariamente (já no primeiro dia!) não funciona mesmo. De manhã a gente tava de bem, ela até perguntou da Mel e eu adoro o fato da gente falar abertamente sobre tudo que acontece na vida um do outro, apesar de eu não gostar muito de ouvir o que ela tem pra me dizer. haha

Conversei hoje com a Mel praticamente o dia inteiro por sms. Nos veremos quarta-feira. :)

Dói muito ter deixado minha casinha e minhas coisinhas para trás hoje. A felicidade tava lá e eu ainda não sabia.

9:48
A: hey bitch
A: :)
B: whos calling me bitch, bitch?
A: hahahahaha
A: Mel
B: i knew it. Hows life w/o me?
A: Oh just wonderful :)
B: i knew it too
A: haha miss ya already
B: yeh, i know that one too. Hahah i know everything.
(...)

10:23
A: i Just gonna go so I won’t have to go for awhile and send my cast to do it from now on haha
B: u r right. Being with me for a few days made u a smart girl haha
A: haha yeaaaaaaah
B: =*
(...)

12:16
B: big issue. I don’t know if im staying :/
B: maybe im going home today :)
A: really? That’s dumb!
A: i have your external hard drive too
B: so merry xmas. I guess you just own a new hard drive
A: i can mail it to you, silly
(...)

13:25
B: i don’t even have a room yet and all i need is to sleep
A: get some sleep. Talk to you soon.
A: what are your days at port so i know when i can text you?
B: american port every mon and fri
(...)

16:21
B: it was nice to be with u all day today babe :) i miss ya. take care please :*
A: see you wednesday!!!

A única coisa que salvou meu dia. E meus diálogos gostosos parece que mudaram de endereço. :)

28.3.11

.for the record

Data: 28/03/11
Hora Local (Orlando – USA): 03h55
Hora do Brasil: 04h55

Só pra constar, tô aqui no Holiday Inn em Orlando. Teoricamente, devo dormir pra acordar cedo e partir para Cape Canaveral, mas já são 4 da manhã e se eu dormir agora não acordo mais. Então tô curtindo a internet de graça aqui do hotel.

Voei de Nassau pra Miami em um teco-teco, e de Miami-Orlando num Boeing. Pequena diferença. E cada vez me sinto mais à vontade por aqui. Já chego em Miami sabendo tudo que tenho que fazer. Pena que minha overnight não é em Miami, porque eu poderia ver a Sarah (até liguei pra ela, pra constar) e o Ricardo, que só descobri agora que está em Miami, porque cancelaram o vôo dele pro Panamá. Por pouco não cruzo com ele no aeroporto.

Enfim, OIrlando me parece normal à primeira vista. Uma Miami de proporções grandes.

E eu tô aqui morrendo de saudade do meu MJ já, fuçando o facebook de todo mundo.
Saudade do que fica pra trás. "I swear if I had time I would do everything right"

Ai, que cama mais gostosa. Tô quase dormindo com o notebook na mão...e é por isso que não posso dormir, porque numa cama gostosa dessas eu só vou acordar meio-dia. Putz!

Chega de nostalgia, porque não consigo pensar em outra coisa agora. Tem um post dos 7 meses aí embaixo.

Tiau. =)

.sete dias vão e eu nem fui ver

Data: 24/03/11
Hora Local (CocoCay – Bahamas): 17h11
Hora do Brasil: 18h11

Sete meses e chega de Majesty pra mim. Daqui dois dias mudo de casa, por mais 5 semanas. A história é longa e eu nem vou explicar. Mas é isso, Monarch of the Seas, minha nova casa.

Talvez eu devesse estar feliz por estar indo embora. E na verdade estou, mas... sempre tem aquela coisa que te prende, que te faz sentir arrependido ou incapacitado de resolver. Sempre tem a história da saudade no meio. Deixa eu tentar ligar os pontos e achar uma linha de raciocínio. Calma. Meus amigos que nunca davam as caras, resolveram aparecer e dizer que estão com saudade. Me parte o coração isso. As pessoas das antigas aqui do MJ ficam tristes quando falo que não volto pra cá, querem que eu fique. Eu até ficaria, eu acho que adoro esse navio e vou sentir muita, muita falta de tudo e de todos. Mas é hora de mudar. MN por 5 semanas. AD por dois meses. NV por dois meses. Hora de dar a volta ao mundo, é pra isso que estou nessa vida.

O lado bom, se é que tem um, é que a minha ex-querida namorada está no MN. Aquela que é muito minha amiga. Mesmo! Ela esteve aqui no navio ontem, fomos no Johnny Rockets e assistimos The Office. Parceiraça! É incrível como a gente se dá muito melhor como amigos do que como amantes. Então, pelo menos, já tenho companhia pra gastar minhas 5 semanas no Monarch. E a gente faz sign-off no mesmo dia. Savvy?!

Como é triste a partida. Não consigo parar de pensar nisso. Deixar esse navio depois de 1 ano e meio dedicado a ele é doloroso. Agora que ta tudo do meu jeitinho, do jeito que eu queria, arrumadinho... e eu vou embora e deixo nas mãos de outra pessoa pra que o trabalho continue. And just for the record, eu nunca vou esquecer o que esse navio fez por mim e o que eu fiz por ele. Meu nome ta registrado na sua história e o seu nome na minha memória. Tenho muitos navios e desafios novos pela frente, verei muita coisa boa e ruim ao redor desse mundo, mas serei sempre grato ao Majesty of the Seas pelas oportunidades que me deu, pelo amor, confiança e credibilidade de sempre. AHOY!

Se o contrato foi longo ou curto, bom ou ruim, não sei. Foi tudo ao mesmo tempo. Por momentos eu quis ficar aqui pra sempre, e tive horas que queria ir embora no mesmo minuto. Isso acontece na vida de marinheiro, mas a gente a prende a segurar até o dia da partida. Se foi bom, no geral, sim. Conturbado no começo, essa coisa de virar chefe, ter trabalhado sozinho por 2 meses, e até que a Frances aprendesse tudo certinho... levou um tempo. Hoje ta tudo perfeito. Morro de orgulho de ver ela fazendo as coisas que eu ensinei, ou as coisas que ela aprendeu de mim indiretamente. Fico feliz. E fico feliz também quando quebra uma porcaria qualquer (tipo quase todo dia) e eu não sei arrumar. Mas quando eu disse meses atrás, se eu não puder arrumar, nesse navio ninguém mais pode. Então eu vou lá e tenho que achar a solução, e eu sempre acho. São pequenos e grandes desafios que te fazem querer ficar e se dar conta que isso aqui ainda vale a pena, que eu ainda tenho o que aprender e crescer. O dia que eu concluir que não tenho mais nada pra aprender, adios! E é por isso que eu to de mudança, pra ver um mundo novo de coisas e aprender mais, porque o MJ eu já conheço até de olho fechado andando de costas, sei pra que serve every single button in the broadcast room. Esse é meu navio. ;)

To enchendo de ladainha, mas é porque eu to nostálgico. Vo imbóra.

Tiau!

20.3.11

.dos amores em cada porto

[01:25] raíssa : ahahahahahahahahahaha
[01:26] raíssa : pegando todas as gringas
[01:26] farioff: pára!
[01:26] farioff: todas não. só as mais bonitas.
[01:26] raíssa: aahahahahahaha

.das pessoas que a gente ama

[00:32] raíssa : olha aqui, vou fazer a resenha
[00:32] raíssa : vc me irrita
[00:32] raíssa : ahuauhuhaahuha
[00:32] raíssa : tiau!
[00:32] farioff: viu?
[00:33] raíssa : vi, vi você irritando
[00:34] farioff: porque voce nao me ama mais.
[00:34] farioff: antes eu te irritava e mesmo assim vc me amava.
[00:38] raíssa : antes vc não me abandonava
[00:40] farioff: eu sempre to nessa porra de internet, como sempre estive. e voce sempre me amou mais do que tudo na sua vida. so pq eu to longe nao muda nada. pode continuar falando comigo ingual.
[00:42] raíssa : eu também to sempre nessa porra de internet e nem assim vc fala comigo
[00:42] raíssa : argh!
[00:43] farioff: claro que falo. largue mão. voce que nunca me responde.
[00:43] farioff: mas deixa.. nem precisa.
[00:43] farioff: vai la pra tua resenha e me abandona aqui.
[00:43] farioff: eu vou continuar te amando, mas nunca mais vou te perturbar e irritar. fique tranquila.
[00:43] farioff: tiau.
[00:44] raíssa : tudo isso é saudade, né
[00:44] raíssa : só pode
[00:44] raíssa : e mto mto mto amor
[00:45] farioff: eu nunca escondi que sinto saudades e que te amo.
[00:45] farioff: voce que faz de conta que nao sabe.
[00:51] raíssa : vc que fica falando que eu não gosto de você e fica nessa discussão sem fim, daí jaja vc tem que sair ou eu tenho que sair a gente não conversou nada, só ficou nessa bate boca desnecessário, sendo que um ama o outro e ponto final!*
[00:55] farioff: o que você almoçou hoje?
[00:56] raíssa : pastel e vc?
[00:57] farioff: hamburger :/



*chorante. Orgulho da minha menina crescida.

18.3.11

.dos que dirigem o seu carro

[21:46] farioff: ai
[21:47] farioff: comprei um dvd pro carro hoje
[21:47] farioff: nao vejo a hora de instalar
[21:47] Andressa: hahahahaha
[21:47] Andressa: ah é???
[21:47] Andressa: q legal
[21:48] farioff: yeh
[21:49] Andressa: teu carro é legal, fez uma otima aquisicao, né?
[21:49] farioff: acho que sim. vc pode dizer melhor que eu.
[21:49] farioff: haha
[21:49] Andressa: pois é hahaha
[21:50] farioff: vou precisar botar um alarme nele
[21:50] farioff: o espelho do som/dvd nao sai.. dai vai chamar mta atençao
[21:51] Andressa: ah é verdade... isso é foda
[21:51] Andressa: mas ele tem alarme, sabia?
[21:51] farioff: não, ninguem me contou.
[21:51] Andressa: hahahahahahahahahahaha
[21:51] Andressa: seriooooooooooooooooooooooooo
[21:52] Andressa: choquei
[21:52] farioff: é tipo seu filho ter dado o primeiro passo e ninguem te liga pra contar 66'
[21:52] Andressa: hahahahahahahahaha
[21:52] Andressa: serio
[21:52] Andressa: to rindo muito
[21:54] farioff: hunf

9.3.11

.6, papudo!

Data: 18/02/11
Hora Local (CocoCay – Bahamas): 00h45
Hora do Brasil: 03h45

E o meu cowntdown foi por água abaixo. Deveria faltar 3 semanas, a partir de agora, pra ir embora. Me faltam 3 meses. Pois é. Dar pra receber. Se eu peço alguma coisa, tenho que ceder também. A novela se complica. Já me deram mil navios diferentes, e os planos mudam toda hora. Mas parece que agora tá tudo resolvido. Eu devo ficar extras 5 semanas no Monarch of the Seas antes de sair de férias. Melhor do que os 7 meses que me dariam depois delas. Pra me livrar disso tive que me submeter a protelar a ida pra casa. Tudo bem. =)

O lado bom e talvez o ruim é que adivinhem quem ta lá? Sim, aquela pessoa louca da minha vida, que eu tenho visto a cada 2 semanas quando nossos navios se cruzam (e tem sido muito bom). E agora nossas vidas se re-cruzam no mesmo barco. A ironia maior do destino é que vamos embora no mesmo dia. E é muito unfair que quando eu cheguei aqui ela ainda estava aqui. Foi embora, saiu de férias, chegou no barco novo e vamos embora no mesmo dia. Muito injusto. Mas enfim, eu tive a minha opção e, mais uma vez, ela fez diferença na minha escolha. Vamos ver que merda vai dar. “The world spins”.

Depois que esse contrato torturante acabar eu devo ir pra um dos maiores navios da companhia, fazendo a rota hispano-italiana, partindo de Málaga/ESP, uma das cidades que eu mais adoro no mundo, e indo em direção à Roma/ITA, uma das cidades que eu mais adoro no mundo. Não posso reclamar. O roteiro não vai me apresentar nada novo, mas rever lugares lindos, respirar ares europeus e navegar por águas do Mediterrâneo me animam bastante. No lugar de um permanent HBT vou virar uma espécie de traveller HBT, que me gusta mucho més (“més” pelo sotaque catalão).

Terei 3 meses de férias e me parece que não vai sobrar outra alternativa senão trabalhar, porque ficar 3 meses sem fazer porra nenhuma vai me deixar muito louco, depois dos quase 9 meses à bordo. Que parto!

Já to muito enjoado desse barco. Se tivesse que ficar até o final aqui acho que eu não aceitaria, mas essa transferenciazinha vai me ajudar a suportar, vou ver coisas novas (por mais que eu odeie o Monarch of the Shits), experiências novas, sentimentos novos... com equipamentos velhos que existem por lá! Argh! Como diz a louca: “Monarch is a shit version of the Majesty”. Pra quem não sabe, os navios são gêmeos, ou twin-ships.

Tenho gastado muito dinheiro na Amazon.com. Só nos últimos 30 dias foram $1000. Porra, não é pouca coisa. Tenho que me segurar. Mas dá raiva e pena de ver coisas super-legaus tão baratas. Eu compro por pena de ver um produto maneiro a preço de banana. Por exemplo, hoje encomendei duas Lomos... eu disse DUAS câmeras lomográficas diferentes por $30 cada uma. Uma octa e uma quadri-cam. Não dá pra resistir.

O momento sad desse post fica por conta de eu me sentir decepcionado com todos meus amigos no Brasil. Nenhum puto me escreve um e-mail pra saber como eu to, nenhum filhodaputa fala comigo decentemente no MSN (tão sempre “na correria” – vãotomarnosseuscus! Venham trabalhar num navio pra ver o que é correria), nenhum paunocu se importa se eu to bem, mal, vivo ou morto. Eu tento, eu bem que tento manter contato... mas as pessoas não têm feito por merecer e eu ando bem desanimado com isso e vou desistir de tentar. Tudo bem que minha ausência já virou rotina na vida de todos. Nos primeiros contratos todo mundo se importava, não via a hora de que eu voltasse. Me mandavam vídeos e fotos das festas que eu perdi e que fiz falta, faziam dedicatórias especiais nos eventos pra mim, compunham músicas, assopravam garrafas pra imitar “a buzina do navio” em minha homenagem e me deixavam morrendo de saudade e remorso por tê-los abandonado. Mas, agora, who cares? Acho que esse é mais um dos motivos que me fizeram querer estender esse contrato por todo esse tempo. Se não faz diferença pra ninguém, pra mim tampouco. É por essas e outras que eu já to achando que vou ficar nessa vida pra sempre.

Resta pouco do Farion nesse Marcos Aguiar que aqui vos fala. =)

Por incrível que pareça, o único que parece se importar comigo é meu irmão Lucas, de 13 anos, aquele que me fez chorar há exatos 2 anos atrás quando eu saí de casa pela primeira vez. É, são exatos 2 anos que me tornei marinheiro. Coisa bagarai!

Adeus.

6.3.11

.do tempo que passa

[19:56] farioff: que serie que vc ta mesmo?
[19:56] .lucas: 8ª
[19:56] farioff: credo!
[19:56] .lucas: credo oq?!
[19:57] farioff: esses dias atrás eu ainda ia te buscar de bicicleta na creche
[19:57] .lucas: poisé^^

27.2.11

.da força e coragem pra chegar no fim

[23:42] farioff: o que tu anda fazendo? estudando?
[23:43] Cassiana: minhas aulas voltam segunda-feira na UTFPR...
[23:43] Cassiana: por enquanto estou curtindo o que me resta de férias
[23:43] farioff: que estranho isso, nem me liguei que era epoca de ferias
[23:44] farioff: meu calendario das coisas reals é todo zuado por aqui.
[23:44] farioff: reais*
[23:44] farioff: reals foi foda.
[23:45] Cassiana: na verdade deve ser quase outro mundo... os mesmos habitantes, mas em locais diferentes, com horário diferentes, atividades tbm e assim vai
[23:46] farioff: é uma torre de babel. e nao existe dias da semana. dia do mes so existe pra gente saber quando é o pay-day.
[23:47] Cassiana: é no mínimo curioso e convidativo!
[23:48] farioff: no começo é estranho. mas agora eu ja acho a vida normal estranha. nao entendo como as pessoas podem se sentir morrendo em plena quarta feira esperando pelo final de semana, depois de ter trabalhado 3 dias desde o ultimo.
[23:49] farioff: aqui a gente trabalha tipo 250 dias seguidos ate ter folga de novo, que sao as benditas férias.
[23:50] Cassiana: beeem merecidas depois de tudo!
[23:50] farioff: tecnicamente.
[23:50] farioff: depois de trabalhar tanto, tu pega uma semana de folga e já ta morrendo querendo voltar a trabalhar de novo, tu nao aguenta mais ter um dia inteiro pra fazer nada, e depois disso ir descansar.
[23:50] farioff: a vida da gente é toda zuada.
[23:51] Cassiana: haha nossa Marcos, chega a ser uma "inversão de valores"... mas acho que é por vc acostumar mesmo
[23:52] Cassiana: inversão de valores depende de que lado se está...
[23:52] farioff: mas é! juro que é unanimidade das pessoas que saem de ferias do navio.
[23:53] farioff: eu mesmo, ferias passadas trabalhei 1 mes inteiro pq nao aguentava ficar sem fazer nada.
[23:53] farioff: é complicado. primeira vez tu volta de ferias achando que vai ver todo mundo, que vai festar todo dia com seus amigos.
[23:53] farioff: dai volta e quebra a cara. ta todo mundo trabalhando, estudando ou trocando fraldas.
[23:53] Cassiana: =/
[23:54] farioff: dai tu fica abandonado sem companhia vendo tv o dia inteiro, esperando pela proxima data de embarque.
[23:54] farioff: mas depois da primeira tu ja vai preparado. ja nem conta mais com teus amigos que começaram a ter uma vida normal, pessoas de familia e bla bla bla.
[23:54] Cassiana: quando é assim a vontade de voltar pro navio deve ser beem maior que a de ficar...
[23:54] farioff: é.
[23:54] farioff: até a vontade de ir embora do navio diminui.
[23:54] farioff: meu primeiro contrato fiquei 5 meses e achava que ia morrer se ficasse um dia a mais.
[23:55] farioff: agora eu ja to aqui ha 6, ainda tenho mais 3 pela frente.
[23:55] farioff: e nao sinto a menor vontade de voltar embora.
[23:56] Cassiana: Mas não deixa de ser corajoso, Marcos...

26.2.11

.dos dias que valem a pena existir

Data: 26/02/11
Hora Local (Nassau – Bahamas): 21h45
Hora do Brasil: 23h45

Postando direto do blogger porque as coisas estão frescas na memória. Um desencontro enorme no começo, mas depois tudo acabou em... um pequeno barco à velas nas águas cristalinas bahamenhas, champagne à vontade, seus melhores amigos à bordo, sua amável ex-namorada lhe proporcionando as melhores conversas novamente, te enchendo de orgulho por ter crescido tanto em tão pouco tempo (apesar de também estar enchendo a cara de champagne), as melhores fotos com aS câmeraS novaS (google na GoPro Hero e na Lomo Quad), pôr-do-sol lindo, que acabou ficando em segundo plano no fim das contas. Abraços gostosos nas dançarinas gos.. I mean, lindas do Monarch ("you're a good hugger!"), e making friends com a galera do nosso twin-ship, o Monarch, minha próxima casa daqui há 4 semanas. Um emaranhado de pequenas coisas que fazem teu dia ser foda e ficar registrado na caixa-preta.

- I trust you. You should trust me.
- I trust you. But I don't trust me.

.

.das curitibanidades

MJ Head Broadcast (11:20 AM) e ai, gerentão!
MN Dive Manager (11:20 AM) fala piazão
MJ Head Broadcast (11:20 AM) haha o mais curitibóca!

13.2.11

.das coisas que ficam

[23:29] M: i hate you.
[23:29] C: haha why?
[23:29] M: i have your perfume all over me
[23:30] C: haha i have yours too
[23:33] M: and your make up on my t-shirt...
[23:33] M: i hate you even more.

12.2.11

.dos melhores diálogos

[16:35] C: ahhhh k well im gonna have a nap.... wanna meet at my gangway at like 8?
[16:35] M: sounds good
[16:35] M: who are you going with? your cast?
[16:36] C: wowzers
[16:36] M: wowhat?
[16:36] C: im excited wowzers!!
[16:36] C: duh!
[16:36] M: hahahaha ok
[16:37] M: yes, me too
[16:37] M: i meet you there @ 8pm
[16:37] M: so take your nap
[16:38] M: take your shower
[16:38] M: and look pretty
[16:38] C: hahah nahhh im gonna come in my pyjamas with no make up on! haha
[16:38] C: ciao
[16:38] M: that's how i love you most. do it!
[16:38] M: see you soon

31.1.11

.um dia para recordar

Data: 27/01/11
Hora Local (Cozumel – México): 00h23
Hora do Brasil: 04h23

O cruzeiro de metal ainda não acabou, mas o melhor dia dele já aconteceu e, se pá, o meu melhor dia desde que embarquei no MJ há 15 meses atrás. Finalmente saímos de eixo USA-Bahamas e fomos navegar em águas do Golfo. E pela primeira vez neste contrato eu escrevo aqui porque tenho vontade de contar uma novidade, e não por “obrigação” da mensalidade.

As emoções de hoje começaram quando vi Crown Princess estacionado (sic) do nosso lado. Irmãozinho gêmeo do meu Grand Princess. Que saudade enorme me deu. Pisar num país novo, ver meu primeiro navio e ter quase certeza de que meu pintche amigo peruano estava lá foram emoções iniciais. Mas eu estava mais empolgado em conhecer a bendita Cozumel.

Alugamos um carro. Um Jeep Troller. PQP, que delícia dirigir de novo depois de 5 meses. Eu, Camila, Diego do Brasil, Kristi (Canadá), Rafael (Colômbia), Angelica (Romênia) e Antwane (EUA). Ok, foram 2 carros orque estávamos em 7. Claro que depois de jogar NFS o mês inteiro e assistir Fast & Furious ontem à noite eu achei que tava competindo. Basicamente, batendo 120Km/h all the way... até a policia nos parar. Na verdade, a parada foi pela zona que o povo fazia lá atrás, de pé e zoneando, ouvindo no último volume a super 93.1Mhz cozumeliana. Tudo como tinha que ser, mas o seu polícia não gostou e me fez parar. Depois de muita ladainha, a gente não teve que pagar nada (fiquei com medo de oferecer propina e ele me prender.. haha), mas ele ficou com meus dados da carteira de motorista e.. tcharammm, mais um país que eu fico queimado, logo na primeira vez que eu piso. Lembram qual foi o outro? Sim, UK, mais especificamente em Gibraltar (digamos que pedalar na pista de pouso foi um tanto quanto malandro). Mais uma pisada de bola em UK e México e eu posso ser preso. Haha mal elemento.

Enfim, depois da diversão com o seu puliça a gente seguiu viagem (à oitentinha por hora). Paramos pra beber, paramos pra comer, paramos pra visitar as ruínas e tiramos muitas, muitas fotos. Em cada parada a gente encontrava mais gente do navio, que também tinha alugado carro. Nossa última parada foi num hotelzinho barato, mas que tinha um pequeno píer pra gente se jogar na água. Nadei pouquíssimos metros, mas deu pra matar a vontade também (não lembro quando tinha sido a última vez), e isso me lembrou muito o episódio de Mônaco com o Victor e os pivetes franceses. Nesse lugar estavam todos nossos amigos do navio, Cruise Division inteira quase. Foi um meeting point desprogramado, mas que deu certo. Voltamos embora quase juntos, em cima do laço, no limite pra entrar no navio.

No fim das contas, tudo valeu. Valeu se queimar com a policia. Valeram todas as fotos. Valeu beber na beira da praia. Valeu andar pelas ruínas de pedras. Valeu comer comida mexicana no México. Valeu se jogar do píer. Valeu se perder pra voltar pro navio. Valeram os nem 60 dólares que eu gastei com tudo isso. Valeu por ter excelentes companheiros pra fazer desde dia mais um dos dias inesquecíveis dessa vida que eu levo, dessa vidinha de marinheiro. Se podia ser melhor que isso? Acho que não, a gente fez tudo que queria e que se podia fazer nesse tempo que a gente tinha, nessa nossa única parada no México.

Mais um país pra lista! Ao infinito e além!

E o cruzeiro de metal? Nem te conto. O melhor cruzeiro da minha vida, sem dúvida nenhuma. Quase nada de trabalho, bandas a todo momento em todo lugar, gentes loucas em todos os cantos do navio. E, claro, a cor oficial é o preto. Eu que trabalho de branco me sinto até mal. E acho que a gente, tripulação, ta se divertindo mais do que os próprios passageiros. E pra melhorar, vi a meio metro de distância o show do Sonata Arctica e quase chorei de saudade dos meus amigos durante Victoria’s Secret. E quase choro agora porque o random do meu iTunes acaba de colocar pra tocar essa mesma música. Telepatia?!

Obrigado, MJ, pelo dia de hoje. Minha missão por aqui está quase cumprida e sentirei saudades suas.

Tiau!

27.1.11

.da conspiração universal

[18:52] ღ Carla: tdo bom com vc marinheiro?
[18:52] farioff: até que sim
[18:53] farioff: e com a fessora?
[18:53] ღ Carla: sinceramente não. Mas educamente, sim.
[18:54] farioff: e honestamente por quê?
[18:55] ღ Carla: <3
[18:58] farioff: again: tristeza não tem fim...
[18:58] ღ Carla: rs
[18:59] farioff: o meu tá que já não bate nem apanha
[18:59] farioff: o primeiro desentendimento já é "ok, vai com deus"
[18:59] farioff: não tenho mais paciencia pra essas coisas.
[18:59] ღ Carla: hahahaha
[19:00] ღ Carla: tb não é assim.
[19:00] farioff@hotmail.com: mas é verdade
[19:00] ღ Carla: Eu já decidi, vou ser sozinha.
[19:00] farioff: com todo respeito, mas..
[19:00] farioff: vaotomarnocu essas meninas.
[19:01] farioff: o mundo ta infestado de viado... e as poucas mulheres que sobram tao com esse papo de "quero ser feliz sozinha"
[19:01] farioff: por isso que eu so me fodo.
[19:02] ღ Carla: hahaha
[19:02] ღ Carla: mas é pq conviver é dificil demais ...
[19:03] farioff: essa coisa virou universal
[19:03] farioff: eu que to no mundo posso dizer
[19:03] farioff: todas as mulheres tao assim agora
[19:03] farioff: vao se phoderem voces.
[19:03] ღ Carla: so você para me fazer rir.

25.1.11

.da falta sublime

[14:27] farioff: http://70000tons.com/artists.htm
[14:28] Larissa Introvini: eles tão fazendo shows ai?
[14:28] farioff: uhum
[14:28] farioff: festival
[14:28] Larissa Introvini: oooomg
[14:28] Larissa Introvini: sonata
[14:29] Larissa Introvini: que máximo
[14:29] farioff: vi o show ontem no pé do palco, tirei fotos milhares, ouvi victoria's secret ao vivo a meio metro do vocalista
[14:29] farioff: foda
[14:29] Larissa Introvini: só conheço sonata e blind guardian
[14:29] Larissa Introvini: hahaha que invejinha
[14:34] Larissa Introvini: a maioria ali nem entendi o nome da banda
[14:34] Larissa Introvini: hauihaohaiuhauia
[14:34] farioff: bem dessa
[14:35] Larissa Introvini: saudade de ler o 'bem dessa'
[14:35] Larissa Introvini: HAUHOIUAHIHAUIHAOIUHOIAUHIUA
[14:35] Larissa Introvini: só vc fala isso
[14:37] farioff: bem dessa.

24.1.11

.cinco mil anos depois

Data: 23/01/11
Hora Local (Nassau – Bahamas): 21h43
Hora do Brasil: 00h43

Nem tanto tempo. Um mês, como o normal. Mas tá demorando tannnnto! Janeiro tá foda. Completo só 5 meses nessa birosca. Já me sinto há meses dentro desse mês. Eu que já tava no countdown pra ir embora, tive que protelar mais um pouco. Agora me faltam mais 2 meses. Aqueles 2 meses que passam voando no começo vão passar se arrastando até o final.

Falar que não tem novidade é mentira. Sempre tem milhares, mas na hora de escrever ou eu não me lembro, ou já deixou de ser novidade neste momento, ou não me interessa contar. Meio que falta motivo pra escrever agora, mas to só respeitando a mensalidade dos posts.

Esse cruzeiro é o mais chato da minha vida. Charter de pessoas chatas, sendo enganadas e pagando fortunas pra fazer parte desse tal GIN. Seus discursos são idênticos aos de uma igreja, com a diferença de não falarem de Deus. Na verdade, seu deus é o dinheiro – prometem que todos seus membros serão milionários. Brain-washing. O pior de tudo é que eles vão voltar daqui 4 dias pra falar a mesma ladainha. A parte boa é que esses 4 dias serão tomados por outro charter nomeado “70.000 Tons of Metal” – 40 bandas do mundo inteiro, heavy metal 24h por dia. Mas não é disso que eu gosto exatamente, eu gosto da parte do navio estar indo pro México. Ahá! Um país novo pra lista. A única banda que me interessa em ver é Sonata Arctica, a única de todas que eu conheço.

De resto, nada muito excited. Só pessoas que vão embora da sua vida na mesma velocidade em que chegaram, vapt-vupt. Pessoas que somem da sua vida gradualmente, sem nenhuma satisfação e, pior de tudo, te deixam falando sozinho – me chame de viado, mas não me ignore porque a ofensa é maior. Tem também pessoas que ressurgem na sua vida – “the world spins, we’re going to end up together”. Essas coisas já não deviam machucar mais, mas por mais que a gente pratique (traduzindo: “que esteja sempre se fodendo pelo mesmo motivo”) a gente sempre dói igual. Eu tenho quase todos os motivos pra ser feliz aqui, só me falta um, é a bendita falta que eu já falei em outros posts. Sempre falta uma coisa. E a hora que tu consegue uma, perde outra.

Tenho medo desses 2 meses que faltam. Como diz minha assistant: “it’s a pain in the butt”. Se a louca do nosso navio gêmeo estiver de bom humor, quem sabe as coisas melhorem um pouco.

Que vontade de comprar uma BMW Z3 1996 conversível. Só $7 mil dólares. Gente, com 3 salários dá pra comprar e sobra troco pra gasolina. No Brasil, exatamente a mesma custa R$70 mil (mais de 20 salários). Pra piorar, $7 mil dólares foi o que eu paguei no meu foderoso VW Golf 1997 no Brasil (que aqui custa $1.5 mil). Dói saber que pelo mesmo preço dava pra andar de BMW nos EUA. tsc!

VOCÊS QUEREM METALLLL????
Depois eu conto como foi o cruzeiro heavy metal. ;)

19.1.11

.das estatísticas

As estatísticas do blogger já estão funcionando desde maio, mas eu ainda nem sabia. Fui ver agora meu histórico desde então e a maneira como as pessoas chegam a este blog é um tanto quanto pitoresca. Veja:

Palavras-chave:
"marcos farion"
cococay bahamas hora local
crewremember
"granizo no mar"
monumentos famosos torre pisa solido
alugar um barco para dar 1 festa
avião american airlines figuras
blog de marinheiros gostosos
como ir de livorno para pisa
como se diz cruzeiro em ingles


Pelo meu nome. Ok.
Por CocoCay. Ok.
Pelo nome do blog. Ok.
Por "granizo no mar". Hein? Nunca falei sobre isso aqui.
Por monumentos famosos. Ok.
Sobre alugar um barco. Ok.
Sobre American Airlines. Ok.
Sobre como ir de Livorno à Pisa. Ok, eu sei! Há!
Como dizer cruzeiro em inglês. Ok, eu sei também.
Procurando blog de marinheiros gostosos. TCHARAMMM! Você está no lugar certo.

.marujo macho

...começa assim uma conversa com outro marinheiro.








.dos velhos amigos no mundo

[16:06] Tatjana Sergeyeva: how come you passed interview?
[16:06] Marcos Farion Jr.: hahaha
[16:07] Marcos Farion Jr.: yes, I did. don't be surprised.
[16:07] Tatjana Sergeyeva: тщ ш ьуфт шеєі пщщв ащк нщг
[16:07] Tatjana Sergeyeva: i mean
[16:07] Tatjana Sergeyeva: it's good for you

Acho que ela tirou com a minha cara. Mas eu não entendi nada, então tudo bem.

13.1.11

.aprendendo a xavecar em português

[10:14] wilton isquierdo: enquanto chove no rio, chove carioca na tua praia.

.da cumplicidade entre primos

[10:40] .farion: e vc.. precisa de alguma coisa?
[10:40] .Denis® - دينيس: dinheiro
[10:40] .farion: sai do msn e vai trabalhar entao.
[10:40] .farion: hjdaushduasdhusadhausdhausdhusadhsaud
[10:40] .Denis® - دينيس: huahuahuhauhaua
[10:40] .Denis® - دينيس: pnc

.das notícias lá de casa

[09:33] .lucas: comprou uma guitarra pra joghar guitar hero?
[09:33] .lucas: jogar*
[09:34] .farioff: pior que nao
[09:34] .farioff: ate ia perguntar...
[09:34] .farioff: vc desbloqueou o ps?
[09:34] .lucas: não
[09:34] .farioff: pq nao?
[09:35] .farioff: antes de ir embora eu dei dinheiro pra mae pra fazer isso
[09:35] .lucas: mãe até hj diz q é pq precisava de dinheiro pro ap
[09:35] .lucas: e não podia gastar com nada
[09:35] .farioff: ainda falei pra ela que era pra desbloquear o ps
[09:35] .farioff: 80 reais nao ia fazer diferença no ap
[09:35] .lucas: mas td dia ela chega com um ppresente diferente pra isadora
[09:35] .lucas: '-'
[09:35] .lucas: até o eduardo ta indignado
[09:36] .lucas: q não ganha mais rpesente
[09:36] .farioff: hahahahahahahahahahaha
[09:36] .lucas: presente*
[09:36] .farioff: o que ele fala?
[09:36] .lucas: ontem ele :
[09:36] .lucas: mamãe, é só isadora nessa vida, só isadora.
[09:36] .farioff: hahahaha
[09:36] .farioff: tadinho
[09:36] .lucas: hsauahsuas.

4.1.11

.o melhor resumo de 2010

.aguiar: eu tava pensando outro dia... que todas as meninas que eu conheci esse ano falam inglês como idioma oficial: austrália, canadá, hawaii, eua, inglaterra, irlanda, escócia...
.aguiar: todas falam inglês com sotaques diferentes. haha
Cristofer: bom, de duas uma:
Cristofer: ou vc fala muito bem inglês, ou naum sabe xavecar em português
Cristofer: hauhauhauhauhauhahuahuahauahua
.aguiar: hahahahahahahahaha