10.9.09

Ir ou não ir,

eis a questão.

A Selection Partners me mandou um e-mail ontem, solicitando a atualização dos documentos para o meu próximo embarque. Se eu não responder (e ainda não respondi), eles declaram como desistência. O problema é que em 20 dias em casa eu ainda não decidi se volto pro navio.

Como todos sabem, o navio é o mesmo, pra embarque em 25 de outubro. E eu sempre disse nesse blog que não pretendia voltar. Mas a idéia de passar 1 mês e meio conhecendo a Grécia, Egito, Turquia, Senegal, Marrocos e mais Veneza, na Itália, me tenta muito a voltar. E depois desembarcar em Fortaleza, em dezembro, depois do crossing de volta à Miami, quando o navio pára (sic, porque eu não aderi às novas regras) no Brasil.

Bem, estou há 20 dias em casa. Só dormi, dormi, dormi e fiquei na internet enquanto acordado. Saí pouco, muito pouco de casa. Tive ofertas de trabalho, mas essa tentação e dúvida sobre voltar ao navio me fez recusar. Continuo tentando mudar de função em outras companhias. Já mandei e-mail pra minha agência e pra outras, com a vaga que desejo. Já sinto tédio estando em casa e cansado de não fazer nada. Isso não significa que sinto vontade de voltar pro trabalho do navio. Só significa que o impacto é muito grande quando se sai de um trabalho full time pra uma vida full time vazia.

O certo de pensar é que eu voltaria pela viagem e não pelo trabalho ou pelo dinheiro. Essa coisa de viajar vicia. Você vê fotos de pessoas, tripulantes ou não, em lugares do mundo por onde seu navio passa, e você quer estar lá também. Isso me faz querer voltar, pra conhecer também! Não é fácil abrir mão de conhecer lugares no mundo. Talvez nunca mais na vida eu tenha a oportunidade de estar nesses lugares, embora eu deseje estar novamente. Mas sei lá, eu sempre quis estar nos lugares em que estive, e talvez essa tenha sido a oportunidade que deus me deu de estar, daí eu vou lá e digo que não quero mais (eu pedia pra ir, mas esqueci de dizer pra ele que seria depois de ganhar na mega sena, e não como assistant buffet steward. "Cuidado com o que tu pedes", já dizia minha avó). Talvez ele me castigue e me faça parar pro resto da vida no interior de Goiás, compondo música sertaneja. Vá saber...

Essa coisa de querer estar é verdade mesmo. Pensar positivo, lei da atração e todos esses blá blá blás que o "o segredo" te diz, é, no fim das contas, verdade. E isso foi só um adendo.

Ainda não sei. Não decidi. Não sei o que pensar. O tempo vai acabando, os prazos ficando mais curtos. E me vejo quase sem opção, quando na verdade tenho todas as opções do mundo.

Wish me good luck!

Tiau! (e eu que disse que não postaria mais...)
.