28.3.11

.sete dias vão e eu nem fui ver

Data: 24/03/11
Hora Local (CocoCay – Bahamas): 17h11
Hora do Brasil: 18h11

Sete meses e chega de Majesty pra mim. Daqui dois dias mudo de casa, por mais 5 semanas. A história é longa e eu nem vou explicar. Mas é isso, Monarch of the Seas, minha nova casa.

Talvez eu devesse estar feliz por estar indo embora. E na verdade estou, mas... sempre tem aquela coisa que te prende, que te faz sentir arrependido ou incapacitado de resolver. Sempre tem a história da saudade no meio. Deixa eu tentar ligar os pontos e achar uma linha de raciocínio. Calma. Meus amigos que nunca davam as caras, resolveram aparecer e dizer que estão com saudade. Me parte o coração isso. As pessoas das antigas aqui do MJ ficam tristes quando falo que não volto pra cá, querem que eu fique. Eu até ficaria, eu acho que adoro esse navio e vou sentir muita, muita falta de tudo e de todos. Mas é hora de mudar. MN por 5 semanas. AD por dois meses. NV por dois meses. Hora de dar a volta ao mundo, é pra isso que estou nessa vida.

O lado bom, se é que tem um, é que a minha ex-querida namorada está no MN. Aquela que é muito minha amiga. Mesmo! Ela esteve aqui no navio ontem, fomos no Johnny Rockets e assistimos The Office. Parceiraça! É incrível como a gente se dá muito melhor como amigos do que como amantes. Então, pelo menos, já tenho companhia pra gastar minhas 5 semanas no Monarch. E a gente faz sign-off no mesmo dia. Savvy?!

Como é triste a partida. Não consigo parar de pensar nisso. Deixar esse navio depois de 1 ano e meio dedicado a ele é doloroso. Agora que ta tudo do meu jeitinho, do jeito que eu queria, arrumadinho... e eu vou embora e deixo nas mãos de outra pessoa pra que o trabalho continue. And just for the record, eu nunca vou esquecer o que esse navio fez por mim e o que eu fiz por ele. Meu nome ta registrado na sua história e o seu nome na minha memória. Tenho muitos navios e desafios novos pela frente, verei muita coisa boa e ruim ao redor desse mundo, mas serei sempre grato ao Majesty of the Seas pelas oportunidades que me deu, pelo amor, confiança e credibilidade de sempre. AHOY!

Se o contrato foi longo ou curto, bom ou ruim, não sei. Foi tudo ao mesmo tempo. Por momentos eu quis ficar aqui pra sempre, e tive horas que queria ir embora no mesmo minuto. Isso acontece na vida de marinheiro, mas a gente a prende a segurar até o dia da partida. Se foi bom, no geral, sim. Conturbado no começo, essa coisa de virar chefe, ter trabalhado sozinho por 2 meses, e até que a Frances aprendesse tudo certinho... levou um tempo. Hoje ta tudo perfeito. Morro de orgulho de ver ela fazendo as coisas que eu ensinei, ou as coisas que ela aprendeu de mim indiretamente. Fico feliz. E fico feliz também quando quebra uma porcaria qualquer (tipo quase todo dia) e eu não sei arrumar. Mas quando eu disse meses atrás, se eu não puder arrumar, nesse navio ninguém mais pode. Então eu vou lá e tenho que achar a solução, e eu sempre acho. São pequenos e grandes desafios que te fazem querer ficar e se dar conta que isso aqui ainda vale a pena, que eu ainda tenho o que aprender e crescer. O dia que eu concluir que não tenho mais nada pra aprender, adios! E é por isso que eu to de mudança, pra ver um mundo novo de coisas e aprender mais, porque o MJ eu já conheço até de olho fechado andando de costas, sei pra que serve every single button in the broadcast room. Esse é meu navio. ;)

To enchendo de ladainha, mas é porque eu to nostálgico. Vo imbóra.

Tiau!