21.8.11

.quem tem Boca é argentino. Argentino vai à Roma?




Data: 19/08/11
Hora Local (Ajaccio – França): 04h49
Hora do Brasil: 23h49

Pois no post anterior eu falava de mudanças, mas já mudou muita coisa de novo. Primeiros dias como head foram super difíceis, muita merda acontecendo ao mesmo tempo e, claro, tudo acontece depois que todo mundo foi embora. Chegou um BT americano que deveria ser bom mas, como sempre, os new hire são uns perdidos (já fui um dia) e só fazem merda, mas com tempo eles entram no eixo. Na mesma semana, chegou outro BT, o Fabiano, brasileiro, esse sim mais experiente, foi o que me deu certa tranqüilidade pra continuar meu trabalho. Se fosse outro new hire eu tava bem fudido. A história é que os 3 formam um completo novo time de broadcasts por aqui, e todos estavam perdidos na primeira semana. Imagine a zona!

Mas as coisas começam a melhorar. Todo mundo já ta mais ambientado, mas os dias últimos foram difíceis. Muito equipamento quebrando ao mesmo tempo e tu tem que contornar a situação, porque o show tem que continuar, literalmente! Ficamos sem satélite por vários dias, porque esse é um satélite (na linguagem casual, sem entrar em termos técnicos) que eu nunca tinha metido a mão e tive que aprender na marra. Fuçando e fuçando, fui aprendendo e fodendo com a coisa, achei que tinha quebrado tudo. Gente no meu pé cheio de reclamações, 2000 guests espanhóis querendo ver o jogo do Barcelona x Real, até que consegui o segundo tempo num canal pirata e depois levei uma juntada porque começou a passar pornografia depois do jogo, quase fui mandado embora (sério!). É foda, a gente tenta ajudar e acaba se fodendo. Foi muito stress por conta desse satélite, mas hoje finalmente consegui botar ele na rota de novo e ta tudo em paz. Ponto pra mim. A culpa é sempre do equipamento.

Hoje também o todo poderoso Hotel Director (chefe do meu chefe) reclamou pra mim que a TV do SPA tava quebrada fazia semanas, mas eu só fui avisado ontem a noite e ele não quis acreditar. Fiquei puto e fui lá e troquei ela por uma nova na hora, pra provar que se eu soubesse antes eu já teria trocado. Ponto pra mim.

Os putos Bee Gees cover chegam 2 horas antes do show querendo que eu coloque gráficos durante o show deles. Falei que não dava tempo, por culpa deles, porque isso tem que ser pedido dias antes. Mas, mesmo assim, eu fiz e ficou lindo. Ponto pra mim, seus putos!

O Fabiano será promovido pra HBT e seria transferido pra outro navio e eu ficaria aqui. Botei na cabeça dele e do escritório em Miami que seria melhor ele ficar aqui (e é!), já que já estará ambientado e poderá prestar um serviço melhor no seu primeiro contrato como HBT. E, por conta disso, eu iria pro outro navio no lugar dele. Foi aceita a proposta. Ponto pra mim, porque foi como eu queria.

O clipe da Nuvens foi lançado hoje, a tempo, antes do show de Sábado. Ponto pra mim, por inumeráveis [sic] motivos.

Eu acordei de mau-humor mas fui dormir cantando. Assim vale a pena.

E pra efeito de registro, fui essa semana à Roma e ao Vaticano numa excursão de turistas, sem pagar nada (eles pagam mais de $200) e foi muito, MUITO foda. Roma é impagável, inacreditável. Entrar no Coliseu e saber exatamente o que se passou por lá em 2000 mil anos de história é fenomenal. Entrar no Museu do Vaticano e ver de perto, com seus próprios olhos, e poder tocar em esculturas de Michelangelo, é terrivelmente foda. E ver, só ver, o teto da Capela Sistina é simplesmente chorante, inacreditável. A Basílica de San Pietro, a maior do mundo, projetada por Michelangelo também (meu ídolo), com a tumba (tradução mais próxima do inglês, acho) do papa JP II ao alcance de suas mãos, e do papa Pio seiláquenúmero também, é algo de perder o fôlego. O altar das missas de domingo e o cenário do Anjos & Demônios (não tem como não pensar no filme) são coisas fodas de se ver, de tocar, de sentir. Roma é sem palavras. Vaticano é incomparável. A imagem do teto da Capela Sistina é algo que nunca vai se apagar da minha memória. Tenha boca e vá!

Só 3 lugares no mundo me fizeram chorar até hoje: Paris, Roma e Curitiba. São lugares que quando eu piso eu penso: “como é que eu vim parar aqui?”. Meus lugares preferidos no mundo, indiscutivelmente.

Voltando a falar dos guris que trabalham comigo, só queria comentar que um tem 34, outro 36. É foda eu, com 26, ser o chefe deles. Mas me dá muita moral no navio, porque ninguém bota fé que eu sou o chefe da TV a princípio. Haha Outro dia um retardado oficial veio me falar merda e falou algo do tipo “pergunta pro seu chefe”, daí eu me fiz de bobo e falei que ia perguntar e saí fora. Ele vai ficar esperando pra sempre a resposta pra largar mão de ser besta. Haha

Os dois guris são super simpáticos e falam com todo mundo. Eu vivo de cara fechada e só falo com quem fala comigo. Acho que é isso que me dá moral, sei lá, não fico me abrindo. Mas não faço isso de propósito, é só meu humor pra estar aqui mesmo, passou a fase de nhém nhém nhém. To aqui pra ganhar dinheiro, não pra ser simpático e fazer amigos. Mercenário mesmo. To trabalhando pra caralho, só venho pra minha cabine pra dormir (porque ela fica loooonge! Essa é a desvantagem de navio grande), demorei 3 semanas pra desfazer minhas malas, saí do navio só 2 vezes. To fazendo minha parte, consciência tranqüila. Mas não me apeguei a esse navio e por isso to feliz de ser transferido. Seria fácil ficar aqui depois que essa fera for dominada, mas eu gosto de ir atrás da novidade, do mais difícil, da mudança, do desconhecido. Vou em busca de outra fera pra dominar, assim como os gladiadores romanos. =)

Boa noite pra você no Brasil. Bom dia pra mim.
For the record: todopoderosotimão!

Tiau!

20.8.11

.on a voyage to Adventure




Data: 29/07/11
Hora Local (At Sea – Mar Mediterrâneo): 17h11
Hora do Brasil: 12h11

Pois bem, meu primeiro cruzeiro vai chegando ao fim à bordo do Adventure of the Seas. Muita coisa nova, muita coisa mudando em tão pouco tempo. Eu que seria um traveller, agora devo ficar por aqui pelos próximos 7 meses. Notícia que não me agrada tanto, mas também não chega a ser das piores notícias do mundo. E quando cheguei aqui, me deparei com todo mundo indo embora na mesma semana. Um assistente foi embora no dia que eu cheguei, sem ninguém pra vir no lugar dele. O outro vai embora amanhã, sem ninguém pra vir no lugar dele. O Head Broadcast vai embora daqui 3 dias, e eu fico no lugar dele. Quer dizer, no lugar dos 3. Justo isso? Claro que não. Mas, tá, exagerei, porque essa era a notícia que eu tinha quando cheguei e entrei em desespero, porque tudo que eu tinha que aprender da minha parte já era muito, mais o trabalho de mais 2, quase pensei em desistir. Mas ontem veio a notícia de que vão me mandar mais 2 assistentes, só que um é novo na companhia e chega amanhã, então seremos 2 perdidos no próximo cruzeiro. O outro, já experiente, acabou de ser promovido pra HBT (como eu) e chega no meio do cruzeiro. Não sei se fico feliz ou triste, porque se o cara acabou de ser promovido, das duas, uma: ou ele se comporta e tenta aprender mais um pouco e me respeita como chefe dele; ou ele se torna um FDP que acha que sabe tudo e vai ser sempre contra às minhas decisões. Eu espero que ele seja do primeiro tipo. Mas, de qualquer forma, ainda assim seremos 3 novatos neste navio, o que já é uma grande merda. Pelo menos um tinha que ser das antigas, porque tem muita ‘coisinha’ que precisa ter as manhas, até que eu me adapte completamente ao navio e possa ensinar o guri novo propriamente. Ensinar coisa que nem eu sei ainda vai ser foda. Mas vamos ver no que vai dar. Já to menos desesperado do que antes nesse momento.

De resto, tudo bem por enquanto. Minha mala foi encontrada e está no aeroporto de Málaga me esperando, vou buscá-la amanhã. Não dei falta de nada importante ainda, além de roupas, claro.

O navio é enorme, lindo. Mas pouca coisa funciona propriamente do que diz respeito à TV, precisa de muita manha, como eu disse antes. Minha sala é gigantesca, tem 2 andares, um deles é um “aquário” onde todo mundo fica vendo o que a gente faz. É bonito, mas pouco confortável nesse ponto. Além do booth no Studio B, outro “aquário”, mas que não funciona, literalmente. Essa classe de navio é uma das maiores, tem o Promenade Deck já, que é uma “rua” que vai de ponta a ponta do navio com lojas, restaurantes, bares, etc... muito bonito. Mas, sinceramente, eu vejo pouquíssimo de tudo isso, já que trabalho mais no escritório. Os assistentes é que vão circular mais por essas áreas pra filmar coisas e etc. Eu fico mais no subsolo fazendo o trabalho sujo. Do meu quarto não posso falar mal, porque ele é maior do que todos os outros que já tive nos navios. Mas também devo mudar pra cabine do HBT assim que ele for embora e eu tomar as rédeas das coisas, mas acho que a cabine dele é igual a essa que eu estou temporariamente. Sinceramente, até sobra espaço. A cabine que eu tinha no Majesty tava de bom tamanho. Mas não posso reclamar, né?!

E, putz, acabo de lembrar que anteontem fiquei preso pro lado de fora da cabine as 5h da manhã só de cueca. Funny! Acontece é que soôu um alarme numa cabine do lado do detector de fumaça, daí eu acordei no pulo e abri a porta pra ver o que tava acontecendo. Não vi ninguém, achei que eu tinha sonhado (só descobri que era o alarme de fumaça no dia seguinte quando me contaram), daí fui espiar no outro corredor e no que eu olho pra trás vejo minha porta batendo. Si fodi! A porta só abre com chave do lado de fora, ela tranca automaticamente. E a chave, claro, estava dentro da cabine. Daí liguei pro segurança pra vir abrir pra mim (eles tem a master) e eles demoraram mil anos. Fiquei ali sentado na frente da cabine, 5h da manhã, de cueca, esperando. Lindo, né? Daí tive que explicar o que tinha acontecido antes que me prendessem por atentado ao pudor. Hahahaha Só sei que foi trash! A Marion é que não vai gostar nada dessa historia. Mas ninguém me viu assim (alem do segurança) ta bom, meu bem?

Brasileiros até que tem bastante. Uns 20, acho. Não conheci nem metade ainda. Portugueses tem bastante também, então vai dar pra falar bastante português durante o contrato. E tem muito espanhol viajando. Eu gostava deles, mas essa semana não pudemos parar em Livorno (caminho pra Pisa) e eles fizeram um fuzuê enorme, fazendo complô na frente da recepção, foram na Captain’s Meeting só pra criticar e blá blá blá... Então eles caíram muito no meu conceito depois dessa. No Majesty, que a gente vivia perdendo porto (e eram só 3), ninguém nunca reclamou.

E, bem, terminei de ver todos os episódios de todas as temporadas de The Office, então que to sem nada pra assistir. Eu devia ter baixado muita coisa antes de vir, mas não o fiz. To vendo na TV agora o Two and a half Man. Nunca gostei desse, mas agora até que to curtindo. Só que não gosto porque não tenho controle dos episódios que to assistindo. Se é pra ver, queria ver desde o começo. Sou chato pra essas coisas (e pra muitas outras também).

Acho que tá bom pro primeiro post daqui.

Bye.