7.3.09

Música caribeña do Caribe!

Hora Local (St. Vicent): 22h20
Hora do Brasil: 23h20

Hoje cedo teve o último treinamento, e foi sobre o “abandonar o navio”. Eu dizia antes de vir que se tivesse um acidente, eu seria o primeiro a pular fora, mas hoje o 1st Officer da segurança me convenceu de que seria melhor ficar e ajudar. Haha Tipo, se tudo correr bem, em meia hora o navio está evacuado, porque esta é uma determinação internacional e bla bla bla. Bom, meia hora dá pra agüentar, né? Se o Titanic levou 2h30 pra afundar, meia hora não é nada. E falando nisso, hoje a Camila me contou direito como foi o “acidente” do ano passado aqui no Grand. Achei tão divertido. Quero um desses. E ainda pegando o gancho do que já foi ganchado, hoje achei o mar mais agitado. Agora ta balançando bastante. As meninas brasileiras disseram que isso é normal, mas eu não to achando. Até hoje não tinha balançado tanto.

Hoje o dia de trabalho foi normal. Nada de diferente. Já estou seguro nas minhas tarefas e tals. E tenho acordado sempre antes do despertador tocar. Desde o dia seguinte que me atrasei, tem sido assim. Acordo sempre 20 min antes do despertador. Daí durmo de novo, e acordo com o despertador mais fraco. Daí durmo mais 1 minutinho e toca o despertador mais forte. Daí que levanto. Mas hoje, eu ouvi o despertador do vizinho nessa minha primeira acordada, então eu suponho que tenho acordado todo dia com o despertador dele. Mas, PELAMORDEDEUS! Em casa eu não acordava nem com 3 despertadores ao mesmo tempo, e agora tenho acordado com o despertador de alguém do outro lado da parede? Que isso! To me estranhando. Mas ainda bem que isso tem acontecido.

Ah, paramos hoje em St. Vicent! Mas desci sozinho, porque não sabia de ninguém indo. Mas a cidade não tem nada de interessante. É bem pobre, tem uns morros que parecem favelas, num mix de casas de barro com mansões nelas. As pessoas são estranhas. Você sempre acha que vai ser assaltado a qualquer momento. Sei lá, não me senti bem e fiquei com medo. Daí voltei pro navio. Na verdade, na volta encontrei a Elena (Macedônia) voltando, então andei umas quadras com ela também. Mas nada demais. E falando nela, só descobri hoje que ela era da Macedônia, porque até então eu achava que era da Ucrânia. E bem que tinha alguma coisa estranha nisso, porque ela era a única “ucraniana” simpática. Agora ta explicado!

E sabe o que descobri? Tipo, sabem aquelas músicas caribeñas que a gente ouve em filmes às vezes? Descobri que elas são feitas no caribe! Hahaha que idiota! Mas sério, fiquei tão feliz de ver uma banda inteira com aqueles instrumentos estranhos, que fazem aquele barulho bem típico caribeño, que eu não fazia idéia de como era produzido. Mas agora já sei. Quase comprei uma coisa daquelas, mas não tive coragem. Talvez na próxima parada eu compre. Haha Mas muito, muito legal o som. Sério!

E sabem o tio que me deu um dólar esses dias? Então, acho que ontem ele me deu mais dois. E agora me pagou uma cerveja aqui no crew bar. Haha acho que ele gostou de mim.

Ok, chega por hoje. To escrevendo muito e isso é chato pra quem lê.

Tiau.
.