27.3.09

1 mês.


Hora Local (Miami - EUA): 11h20
Hora do Brasil: 10h20

Miami é cruel.

Hoje o dia é de nostalgia, de dor, de vontade de chorar. Miami pega boa parte dos seus amigos e leva embora pra algum lugar do mundo, literalmente. Mi paisana Gabriela, que embarcou há 10 dias para treinamento, agora parte pro Alaska. Ela e outros fotógrafos estão indo pra longe. É incrível como 10 dias são suficientes para que laços de afeto sejam criados. Vou sentir falta dos fotógrafos, que são muito gente boa. Das meninas sul-africanas que são simpáticas. Mas mais mesmo de mi paisana, porque nos conhecemos em Curitiba durante as entrevistas. É muito confuso de pensar nisso. Sem falar neles, meu head supervisor sul-africano também vai embora. E também o supervisor português José, que se tornou amigo de verdade. Me ajudou muito por aqui e me deu suas últimas dicas agora há pouco no café da manhã. La chica enamorada de mi compañero de cabina mexicano tambien se va. Me acostumei a vê-la todas as noites na nossa cabine. E vai também uma menina do Spa, que tem um par de olhos dos mais lindos que já vi. E vai o Max, o ucraniano que tirou a foto dos latinos no dia da gangue da bicicleta. E vai o menino dish washer, acredito que seja da Índia. Um menino quieto, mas muito boa gente. Cruzava com ele pelos corredores da staff/crew mess sempre. É triste. Isso dói. Hoje você está com essas pessoas, amanhã uma estará na África do Sul, outro em Portugal, outro na Índia, outro no Alaska...em qualquer parte do mundo. Pessoas que se tornaram especiais na sua vida, por algum motivo simples, e que provavelmente você nunca mais vai ver na vida toda.

Este é o último cruzeiro da Camila. Até agora não chorei com essas partidas em Miami, mas quando ela partir acho que vou chorar. Eu a “conheço” desde antes de vir pra cá, então acho que vai ser muito triste quando ela for. E ela disse que tem foto minha no blog dela. Ainda não vi porque to escrevendo offline, mas entrem lá e vejam. Tem o link aqui na lateral. Pelo que ela disse, é a foto de pirata há uns dias atrás.

A minha saudade é das pessoas que se vão agora, e não das que deixei no Brasil.

Hoje, 27, eu e Victor completamos 1 mês a bordo. Um mês que passou voando devagar. Ao mesmo tempo que parece que embarquei semana passada, parece que já vivo aqui há 6 meses. As coisas aqui são muito intensas. Victor se tornou um grande amigo, e quando formos embora vai ser bastante doloroso também. E qual será a sensação de partir e deixar amigos à bordo? Só vou descobrir em 5 meses. Provavelmente, 15 de agosto pra ser mais exato.

Miami é cruel.

.