11.12.09

Segundas primeiras impressões

Data: 03/12/09
Hora Local (Key West – USA): 20h28
Hora do Brasil: 23h28

Nem tudo (ou quase nada) são flores.
Chegando aqui as coisas pioraram bastante. Haha

Bom, tentando começar pelo começo, cheguei no navio com muito transtorno, falta de informação. Me esqueceram no hotel (depois voltaram buscar), ninguém sabia me informar como eu deveria embarcar. Mas entrei. Fiz toda aquela coisa inicial de documentação e meu supervisor já me esperava lá. O Ruel, um filipino. Até mudei meu conceito quanto aos filipinos, porque o Ruel é muito gente boa. Chato na medida que tem que ser o chefe, mas é gente boa, super paciente. As vezes me irrita um pouco quando ensina uma coisa que eu já sei, ou quando quer que eu faça alguma coisa do jeito mais complicado, mas, no geral, eu não sei nada sobre tudo que a gente tem que fazer. Então, fico na minha e deixo ele ensinar, porque eu tenho MUITA coisa pra aprender aqui. Na verdade, esse MUITA é grandão assim porque somos só dois: Ruel e eu. Ou seja, eu preciso trabalhar basicamente sozinho. Agora o Ruel me ajuda, porque além de ter que ensinar, eu ainda não tenho muita prática nas coisas que a gente tem aqui, então ele tem ajudado. Mas o papel dele é muito mais administrativo do que prático. Então, claro que em breve eu vou ter que fazer tudo sozinho. FODA! Tenho trabalhado nesses 4 primeiros dias cerca de 18 horas por dia, virando noite. É aquilo que eu já imaginava pra um cruzeiro de 4 dias, que seria corrido demais, porque temos que ter um DVD finalizado em menos de 3 dias. E tem MUITA coisa pra filmar. Se fosse só filmar, era fácil. O que estraga é a edição, que demora bem mais. Então eu viro noites editando, porque o prazo é curto. O pior de tudo é que é numa ilha AVID, que eu nunca tinha mexido na vida. Então tô tendo que aprender a editar num novo software (que até agora tô achando péssimo) e isso demora um pouco mais o processo. Well, o primeiro DVD tá pronto. Não com o capricho que eu gostaria. Aliás, bem ruim eu acho. Mas pra eles tá bom, então beleza. Ai, tem tanta coisa pra falar que eu prefiro pular tudo isso, pode? PODE!

Já fiz tanta coisa, não tenho tido tempo nem pra arrumar minha mala. Por falar nisso, a cabine é maior do que a que eu tinha no Grand, e realmente eu vivo sozinho. Eu esperava mais, pela propaganda toda que me fizeram. Mas não posso reclamar. Tenho 10 gavetas (contra 1 do Grand) e 2 armários (contra 1 do Grand) e 6 prateleiras (contra 1 [pra dividir] no Grand). Então que tá sobrando espaço até. Nem tenho tanta coisa pra preencher tudo isso. E eu vivo numa esquina. Isso é ruim. Tem muito barulho. Pra ajudar, o cabeleireiro (da máfia filipina) usa a minha parede de noite pra pendurar o espelho dele. E isso faz barulho.

Ah, eu gostei também da minha sala. A Broadcast Room é ótima. Dá até medo de entrar nela, porque tem dezenas de monitores e milhões de botões que eu ainda preciso aprender a mexer. Tem uns 3 computadores (na verdade, tem uns 30, mas que funcionam como servidores dos canais) e só uma ilha (a AVID). É muita coisa pra uma (ou duas) pessoa só. Sinceramente, eu acho que a gente precisava de no mínimo mais uma pessoa fazendo isso, mas como até hoje só existiu um, nem rola eu ir reclamar, porque vão me jogar na cara isso. Só que esse um se ferra demais. Meu tempo, suposto, livre até agora, eu dormi. E foi pouco tempo. Pra piorar eu ainda tenho um beep. Isso significa que tô de plantão 24h por dia. E pra terem idéia, de ontem pra hoje trabalhei até 7h30 da manhã. Fui dormir, e as 8h30 já tavam me acordando pra resolver um negócio. Voltei dormir umas 10h até 4h30, e tava trabalhando direto até agora. Tiramos meia horinha de break, entre um show e outro do teatro. E nossos breaks são todos assim. A gente sai meia hora, depois uma horinha... assim é foda. Break grande acho que eu nunca vou ter, e não tenho a mínima idéia de quando vou conseguir sair do navio. Até agora eu olhei poucas vezes pro lado de fora, sem ter nem idéia de onde a gente estava. E o dia que eu sair, com certeza será porque eu troquei a dormida pelo prazer de sair. Hoje eu poderia ter saído de manhã, mas daí não ia dormir nada. E bem provável que seja assim pra sempre.

Enfim, tá foda. Só isso pra dizer.

Ah, o Ruel tá indo embora dentro de 1 semana. Preciso aprender tudo até lá, porque dizem que o próximo supervisor é preguiçoso e vai me deixar na mão. Então tenho que relevar as chatices do Ruel e tentar aprender o máximo com ele.

Eu nem fui no bar ainda, e conheci só 3 dos 15 brasileiros a bordo. Eu não vejo gente o dia inteiro. Vejo, mas pelos monitores da minha sala. Pessoalmente, vejo bem poucas. Ah, e quando saio pra filmar é nas festas de passageiros, então esses eu vejo bastante. Mas tripulante mesmo, quase nunca.

Bom, tenho que voltar lá, porque em 15 min começa o próximo show e tenho que estar na sala pra monitorar as câmeras e gravar o show. São 3 câmeras no teatro e a gente controla remotamente pela nossa sala via switcher, fazendo o corte ao vivo. É bom, a gente ganha tempo com isso. E eu gosto de mexer na mesa de corte. (o único elogio que recebi até agora foi por ter controlado a mesa de corte bem. E olha que fazia aaaaaaaaaaaanos que eu não via uma na minha frente. E só mexi em alguma na faculdade, umas duas vezes. Haha sei lá, tive sorte, acho).

Sei lá quando vou postar isso. Nem descobri como se usa a internet ainda.
Não tenho tempo pra nada.


Tiau.