21.3.10

.sea sick, blééé

Data: 13/03/10
Hora Local (Nassau - Bahamas): 20h16
Hora do Brasil: 22h16


Já tem 3 dias que acordo com dor de garganta, sintomas de gripe e sem vontade de comer. Aliás, estamos em alerta porque há um vírus no ar e os cuidados de higiene estão redobrados. Deve ser isso, o bichinho do rum-rum me pegou primeiro.

Acabamos de chegar em Nassau pra mais uma overnight, mas acho que não vou pro Bambu, não. Doente, cansado e sem vontade de ver agumas pessoas.

E as coisas continuam mudando rápido por aqui. Hoje tá tudo lindo, amanhã tá tudo feio, no outro dia já tá diferente de novo. São complicadas essas coisas, pior do que novela mexicana.

Chegou uma brasileira nova, mas mais da metade dos brasileiros tá indo embora em menos de 2 meses. E eu tô na metade do caminho. 3 meses e meio a bordo, 3 meses e meio pra ir embora. Agora a contagem é regressiva, pelo menos. Mas não tô importando muito com isso, não tô com tanta pressa de ir embora. Embora algumas coisas me dêem motivo pra querer ir, mas nada tão grave assim pra me fazer pensar no assunto a sério.

Assisti “Before Sunset” (2004) de novo e continuo gostando do filme. E gosto de rever filmes com pessoas que ainda não viram. Gosto de ver a reação das pessoas em determinados momentos. E me orgulho de não ser daqueles que ficam contando o filme ou falando qualquer coisa no meio. Me seguro e fico em silêncio. E nesse filme em questão é essencial isso, porque aqueles 10 segundos de fade out no final dão todo o toque especial. Se eu falar “acabou” com 3 segundos de black não tem a mesma graça de fazer as pessoas se darem conta por elas mesmas de que o filme acabou, só depois de aparecer o nome do diretor depois de um longo vácuo pra refletir. E as reações são sempre ótimas e as mesmas pra esse filme em questão: - “What? He didn’t get her?”. Eu disse o mesmo, em português, claro, quando vi o filme pela primeira vez. A frase final do filme é uma das minhas prediletas:

- Babe, you are gonna miss that plane.
- I know.

Eu tinha um diálogo pra escrever (não de filme), mas esqueci qual era. Mas uma frase da semana que marcou (não muito positivamente) foi essa: - I know. Everybody knows!

Tiau.