13.7.09

Se é pra ficar morrendo aqui...

... eu vou-me embora.

Data: 08/07/09
Hora Local (Gibraltar - Inglaterra): 09h13
Hora do Brasil: 04h13

Já que acabei o post de antes falando de Michael, deixa eu começar por ele. Ontem teve aquele Memorial (funeral, na verdade) dele e passou na íntegra na CNN. Fui assistindo quando dava e foi muito bom. Quando Mariah cantou “I`ll be there” foi bem foda. Já deve ter no youtube, né? Quando eu chegar em casa vou passar boas horas no youtube pra rever tudo que eu perdi nesse ano. Enfins, foi bacana e triste.

Podem me chamar de louco, mas eu não desci do navio em Barcelona. Já falei isso? Não lembro. Mas não saí, apesar do dia lindo que fazia lá fora. Eu tava morto de cansado, desde a corrida em Málaga. Daí fui dormir. Tudo pra aproveitar melhor em Mônaco. E valeu a pena, porque foi ótimo em Mônaco. E em Civitavecchia eu também não saí. Acho essa cidade feia, e era sábado, daí ta tudo fechado. Os italianos são muito preguiçosos. Não trabalham sábado, nem domingo, e dia de semana ainda fecham na hora do almoço. A cidade fica morta. E já saí ali várias vezes e vi tudo (fechado) que tinha pra ver. Agora aí só me interessa sair quando for pra ir pra Roma. E se no meu último cruzeiro eu não tiver day off ali pra poder ir à Roma, eu vou faltar trabalho. Quero nem saber! Puta djuz! (sic) Ah, e andei melhor em Nápoles dessa vez. Cidade feia, como todas da Itália que eu conheci. É pobre, sabe como? Uns cortiços feios demais. Claro, pelo valor histórico é lindo estar ali, ainda mais sabendo que ali é a boca da máfia italiana. Mas sei lá, a Itália não me encantou como deveria. Nápoles tem suas construções antigassas, igrejas e castelos lindos. Mas é tudo largado. Não sei explicar direito. Ao mesmo tempo que é bonito, é tudo feio. A Itália toda me soa triste, nublada, escura, feia e é fedorenta. Os italianos também não são flores que se cheire. Não me agrada. No mais, saí com a Bruna, Yuliya (Ucrânia) e o português em Ajaccio (Córsica), onde nasceu Napoleão Bonaparte. Pertence à França esse lugar. É uma ilha no meio do Mediterrâneo, que divide fronteira com Sardínia (Alghero), que é da Itália. Bom, primeiro fomos comer num restaurante típico do lugar, à beira da praia e tals. Bem bacana. Mas eu tava meio injuriado com eles pelo dia anterior, que teve festa e a gente se perdeu. Andei o navio inteiro atrás deles, porque eu tava com a chave da Bruna e precisava devolver pra ela poder voltar pra casa. Enfim, eu não estava muito feliz nesse outro dia. Mas daí fomos à praia, o português não foi, e até me animei um pouco mais. Praia lindinha, um outro paraíso pra minha coleção. E eu estava super bem acompanhado pelas duas queridíssimas bar steward. No fim das contas, foi bacana o dia.

Aqui tem feito muito calor. É verão, claro. Mas eu não esperava tanto calor assim.

Hoje paramos em Gibraltar. Eu queria comprar um laptop novo, porque estava tudo certo pra vender esse aqui. Mas a guria que ia comprar deu pra trás hoje. Desgraçada. Não estão caras as coisas por aqui, apesar de ser pounds. Um laptop se pode comprar com mil reais, cerca de 300 pounds.

A festa que eu me referi antes era uma Bollywood Party. Muito bacana. Nós, os brasileiros, nos sentimos no Caminho das Índias. Eu vou sentir saudade desses brasileiros, viu. Um pior do que o outro, um mais fresco do que o outro. A gente se xinga, mas se adora. A Grazi é a patricinha, o Marcus é o aloprado, a Adriana é a cu-doce e a Bruna me irrita quando a gente discute e 5 minutos depois ela age como se nada tivesse acontecido. Haha vocês sabem que eu sou rancoroso e não esqueço fácil das coisas. É por isso que fico de bico de um dia pro outro, como nesse dia em Ajaccio que eu tava bravo ainda com a coisa do dia anterior.

A lua está cheia. A gente (brasileiros) foi algumas noites do lado de fora pra ver ela. E acho que brasileiros são “coisas” especiais mesmo. Nenhuma outra nacionalidade parece se importar com esses pequenos detalhes, como ver a lua, como ver o pôr-do-sol. A gente se encanta muito fácil com as coisas. E os outros, como filipinos, indianos e orientais em geral preferem dormir em suas horas livres do que ir pra fora conhecer o mundo. Eles raramente saem do navio. E os europeus estão pouco se fodendo pros lugares, porque pra eles é o jardim de casa. Enfim, são muitas culturas por aqui. Se não me engano, são 47 nacionalidades à bordo. E tenho certeza que os brasileiros são os mais especiais, mais ricos e mais empolgados. ;)

Ta foda por aqui. Todo dia tem um treinamento, uma reunião diferente, bem no meio dos meus breaks. Sefodê, viu! Agora to fazendo hora pra ir a um deles às 10h.

Ontem o Ass. Maitre D` me chamou pra conversar, porque eu me atrasei 10 minutos e tals. Daí ele veio querer me humilhar, só que não dou moral pra esses vagabundos. Veio dar lição de moral, dizer que sou irresponsável. Daí me perguntou que se eu tivesse uma empresa, eu me contrataria. Eu disse que não. Hahahaha daí ele ficou puto, perguntou se eu tava sendo sarcástico. Eu disse que não de novo, daí ele ficou bravo. Mas realmente eu não tava. É que ele tava com a minha ficha de avaliação nas mãos, onde constam todos meus atrasos. Daí, realmente, olhando pra aquilo ali é horrível. Mas eles são putos, porque eu já disse aqui que se você é o melhor trabalhador, pouco importa. Eles te reportam se você faz coisa errada ou chega tarde. Se você faz algo bom, passa batido. Nunca colocam na tua avaliação algo bom. Então, claro, minha ficha está ridícula e eu não me contrataria olhando pra aquilo ali. Eu não ri na cara dele, mas agora eu rio só de lembrar disso. Eu sei que minha cara é cínica nessas horas, mas problema dele. Não vou ficar baixando a bola, porque é isso que ele quer. E ele sempre joga na cara o que diz o contrato, mas no meu contrato não diz que tenho que sorrir pra ele nessas horas.

Véi, brasileiro é uma merda mesmo. A gente é foda. Todos aqui dentro abrem a boca pra reclamar. O Marcus é um bocudo, a Maria também. E eu não precisa nem falar, né? Nós 3 somos de dinning room e estamos sempre discutindo com aquele gordo desgraçado. Acho que nunca mais vão contratar brasileiros nessa área. Haha mas o que acontece é que a gente não baixa a bola e brigamos pelos nossos supostos direitos. (aqueles que a gente não tem mas briga pra querer ter).

To quase indo embora. Só mais 5 semanas. Se me foderem cruzeiro que vem, me colocando de night shift, eu falto trabalho pra ir à Copenhagen, onde vai ter over night. Ninguém tem dúvida que vamos todos pra mesma balada.

Eu só to aqui ainda porque me falta conhecer a Dinamarca, Bélgica, Suécia e Noruega. E vai ser semana que vem! ;)

Semana que vem promeeeeeeete!

(eu acho que não vão renovar meu contrato e não vou poder conhecer a Grécia daqui 3 meses. Ahusdhaushduas)

ps: ahhhhhhhhh, to tomando remédio pra dor, porque me quebrei carregando muito peso. Por enquanto não é nada sério.

To com tantos planos. Mas tudo na base do “depende”.

Tiau!
.

UPDATE


Évribari macacada (sic).

Data: 09/07/09
Hora Local (Gibraltar): 00h36
Hora do Brasil: 19h36

É só um update. O dia só mudou porque passou da meia-noite.

Subi, finalmente, a montanha em Gibraltar, que tem um nome e eu não sei qual é. Gibraltar é basicamente só essa montanha. Mas subi hoje com o Pereira (Portugal) de bicicleta. Quase morremos, claro. Mas valeu muito a pena. Não curtimos mais porque não tínhamos mais tempo. Levamos cerca de 45 min pra subir. Pra descer deu menos de 10. haha

É isso.
.

UPDATE

Miami again, como si fuera.

Data: 11/07/09
Hora Local (Southampton – Inglaterra): 02h00
Hora do Brasil: 22h00

Sim, 2 da manhã (acabamos de voltar 1h o relógio) e eu escrevendo. Não chegamos na Inglaterra ainda, mas o título consta isso.

Acabo de voltar da suposta leaver’s party, que é pra se despedir da galera que vai. Não é uma festa em si, mas uma grande reunião, com todas as panelinhas e pessoinhas que partem nessa próxima manhã. Se vão ucranianos, o chileno gente boníssima e a Elenita, da Macedônia. Sinto pena do Victor (Peru), que é apaixonado por ela. Hoje fiz um vídeo pra ele entregar pra ela, com fotos e bla bla bla. De ver o vídeo me dá pena, me faz sentir essa dor e nostalgia de ver alguém que se ama ir embora. Se eu sinto isso, posso imaginar a dor dele agora. Não é das melhores. Enfim, é triste. Nostálgico.

Bom, me estraguei essa noite. Sempre que volta uma hora no relógio a gente acha que pode fazer tudo na noite, e acaba se estragando mais do que nas noites normais. A Bruna já ta bem enturmada, então nem conversamos muito hoje. A Grazi só fica de papo com os canadenses dela. Com a Adriana eu nem converso mais, faz mais de 1 mês. A Maria só fala de dormir. Ou seja, paisanos que é bom, não tive nenhum hoje. Fiquei mais com a galera do ‘vou embora’. Que inveja deles.

“já faz um mês que me falta um mês”. A frase do dia. Minha, claro. E quem vai embora comigo concorda profundamente.

Hoje (ontem) o Maitre D’ me chamou pra conversar. Acho que to perto de casa, porque ele disse que um atraso mais, me mandam pra casa. Acho que fiquei até feliz com a notícia. E tipo, se eu chegar hoje (amanhã) tarde, já to chegando em casa. Uhu! Mas vou tentar me atrasar só no outro cruzeiro, porque esse de agora é de uma semana e vamos passar na Dinamarca, Bélgica, Suécia e Noruega. Lugares que me falta conhecer. Vou tentar me comportar pra conhecer estes. Vejam ali nos links do lado as cidades e etc. Vai ter over night, que significa que vamos passar a noite numa cidade. Supostamente, porque o navio sai 4h da manhã, então nem vamos aproveitar muito.

Well, esqueci tudo que tinha pra falar. Só sei dizer que agora to cansado e preciso dormir. Faço planos todos os dias, de como será se eu voltar ou não voltar. Sinceramente, meu melhor plano é voltar, conhecer a Grécia, Egito e África, depois romper o meu contrato quando o navio chegar no Brasil, em 13 de dezembro. É a minha melhor idéia até agora, massss, depende se eu não for mandado embora antes do tempo nesse contrato. Haha E tipo, passado essa semana dos países novos, fico até feliz se me mandarem pra casa antes do tempo.

Me sinto agoniado pra chegar o dia de ir embora. E muito nostálgico quando vejo as fotos do Caribe, por exemplo. Já sinto uma saudade enorme de lá e dos bons momentos que passei. Vou sentir saudade do pintche Victor, que é meu melhor amigo aqui, e no Caribe passamos bons momentos juntos, talvez alguns deles entrem na lista dos melhores da minha vida. O outside dessa vida é maravilhoso. O inside é de foder. Já disse aqui e repido: o preço que se paga por isso é muito caro. Fico de boca aberta com o que vejo do lado de fora, me dá vontade de ficar o resto da vida. Mas como a maior parte do nosso tempo se passa dentro do navio, a gente não vê a hora de acabar com isso e ir pra casa. A pressão é muito grande, a cobrança é exagerada e a maioria das pessoas são desprezíveis. Tudo isso te leva a refletir se realmente vale a pena estar aqui. Pela grana não vale. Claro, tenho guardado muito dinheiro, mais do que no Brasil. Mas ainda é pouco perto do que a gente merece, por tudo que a gente passa aqui. Os que mais trabalham, menos ganham. O que é meu caso. Sei lá, conhecer o mundo dessa forma, sempre correndo, é muito ruim. É como ganhar um CD de amostra grátis, que te gosta muito, que só toca no shuffle. Tu ouve 30 segundos de cada música e tem que se contentar com isso. Se quiser ouvir mais, tem que pagar caro pelo disco. É assim aqui. A gente tem o aperitivo do mundo. Pra ter mais, um dia tu deve pagar do teu bolso pra ficar mais tempo e passar férias, sei lá. A analogia é mais ou menos essa.

A gente fica paranóico aqui. Qualquer 15 minutos de dormida é lucro. Hoje (ontem) botei o despertador pra tocar 15 min depois, pra eu poder assistir tv no meu break com a certeza de que não ia me atrasar pra voltar. Resultado: claro que eu dormir os 15 min e acordei com o despertador. A Bruna também, outro dia que saímos, disse algo como “vamos rápido que ainda dá tempo de eu dormir 20 minutinhos”. Véi, isso é normal? No Brasil a gente faz esse tipo de coisa? Claro que não. Se não der pra dormir pelo menos 2 horas, a gente nem pensa em dormir. Mas aqui, cada minuto de sono é lucro. Eu não durmo mais de 4 horas por noite. Nunca! Claro que a culpa é minha, porque vou no bar toda noite. Mas mesmo que eu saia do trabalho e vá direto pra cama, vou dormir no máximo 6 horas direto. Pra quem trabalha das 7h da manhã às 23h30, 6h de sono é pouco, né?

E pra foder mais ainda, quando saio, ainda saio pra andar de bicicleta, correr, etc. haha tudo que cansa ainda mais. Mas quer saber? Essas cansadas de bicicleta são as que mais me deixam feliz.

PS: como se não bastasse, nos nossos breaks sempre tem reunião, treinamento ou alguma outra merda, como minhas aulas de inglês. Sempre! Eles sempre acham jeito de foder teu break.

Tiau! Já reclamei o suficiente nesse post.
.

UPDATE

hahahaha.

Data: 12/07/09
Hora Local (Southampton - Inglaterra): 00h13
Hora do Brasil: 20h13

Se dependia de atraso pra eu ir pra casa, hoje me atrasei duas vezes. Hahaha
Tipo, de manhã era pra ter drill, daí meu break começou 9h, e até comer e ir pra cabine, cheguei eram quase 9h30. O drill é normalmente 9h45, daí pensei: claro, vou dormir 15 minutinhos. É aquela história que já disse, de que 15 minutos de sono são sempre lucro pra nós. Ok, acordei 9h45 com o despertador, mas nada do capitão chamar. Dormi de novo, na esperança de ouvir o sinal e acordar com ele. Meu compañero de cabina tava fazendo o mesmo. Resultado, às 10h45 toca o sinal, mas era a Bridge dizendo que o drill foi cancelado. Eu acordei com o sinal, maaaaaaaas a notícia não foi boa. Eu deveria começar a trabalhar 10h30. hahaha tipo, com drill, eu começaria depois das 11h, então beleza. Mas como cancelaram essa porra, eu me fodi. O supervisor novo (que cobre o supervisor mexicano quando ele não ta) já ficou fudido da cara, e acho que me reportou direto pro Ass. Maitre D`, porque o supervisor mexicano não me falou nada depois. Então, é bem provável que eu tenha alguma notícia boa amanhã. E depois ainda de tarde, depois que saí pro shopping usar internet de graça na Apple Store, dava tempo de dormir 1 horinha. Mas acabei dormindo uma hora e meia. Me atrasei só 5 minutos, então até que dava pra dar uma enganada. Isso se eu não tivesse dado de cara com o supervisor mexicano no meio do caminho. Hahaha mas ele fez vista grossa e não deu em nada. Mas enfim, me atrasei duas vezes no dia seguinte da mijada que eu levei do Maitre D’. Foda!

Esse cruzeiro vai ser foda. Já estamos na madrugada à caminho da Bélgica. Só países novos pra mim. Bélgica, Dinamarca, Suécia e Noruega. Uhuuuu!

Eu tinha algo mais pra contar, mas já esqueci.

Hoje é aniversário da Yuliya (Ucrânia) e vamos fazer festa no crew bar. A Bruna já me ligou aqui e to atrasado. O foda é que temos que adiantar os relógios em 1h hoje. Fodeu! Será que me atraso de novo? Hadushuads

Tiau! Fui festar.
.