18.1.10

.todo poderoso

Data: 14/01/10
Hora Local (Key West - USA): 00h40
Hora do Brasil: 03h40


Tem dias que a gente se sente bem. Mas no mesmo dia tu pode se sentir péssimo pelo mesmo motivo que te deixou bem. Bom, eu ainda estou na parte de me sentir bem. Mas o Ricardo (Brasil) não teve a mesma sorte. Espero continuar como estou.

Ontem foi aniversário da Helen (Canadá) e teve festa na casa de máquinas com a máfia filipina, no melhor estilo undergroung (literalmente, porque é no deck 0). Mas nem fui, só fiquei sabendo, porque depois ela apareceu lá no back deck pra gente beber uma cerveja e comemorar. Comemorar e despedir, porque ela vai embora dentro de poucas horas. Vou sentir saudades, porque ela foi uma boa companhia nos últimos dias.

Finalmente saí em CocoCay, que é a nossa ilha particular. Fazia frio, mas menos que o normal. Ilha lindinha, parece de boneca, tudo colorido, arrumadinho e pequeno. Um mini-paraíso, sem dúvidas. Preciso voltar lá pra aproveitar mais as coisas. Dessa vez só fiz snorkel com meu próprio equipamento (ui, até parece que é muita coisa) e tirei fotos. Eu tenho sorte, porque metade do navio tem que trabalhar lá quando atracamos, mas eu sou um dos poucos que não.

Hoje saí com Ricardo em Key West, mas foi engraçado porque nosso clima estava total oposto. Eu animado e ele puto com tudo. Haha e comemos fora, no Sloppy Joe’s, super tradicional por aqui. Pra minha alegria, vi no menu “buffalo chiken” e pensei “háá! agora eu sei o que é isso”, e pedi sabendo o que esperar da comida. Haha

Achamos uma loja de coisas usadas. Tinha de tudo. Comprei a trilogia “The Godfather”, vulgo “O Poderoso Chefão”. Paguei U$25. No Brasil tá R$100. Tudo bem que é usado, mas o que importa é o conteúdo, não a capa.

Estrangularam uma mulher no navio da MSC no Brasil. Bacana, né? Não estamos com fama boa no mundo marítimo. Nem o crew é feliz ganhando pouco no Brasil (brasileiro não dá gorjeta, e a maioria vive de gorjeta aqui), nem a companhia é feliz sendo obrigada a contratar 30% de brasileiros em cada navio, e ter que aturar a moleza desse povo que embarca nessa vida pra se divertir, chega atrasado no navio e só fala português. O resultado disso é ter o Brasil no topo das demissões nos navios. Legal pra nós, continuem assim, pessoal!

Não sei what’s going on tonight, vou lá no bar conferir.

Bye!