12.5.10

.have you bingo’d today?

Data: 08/05/10
Hora Local (CocoCay - Bahamas): 23h47
Hora do Brasil: 00h47

Já contei do jet ski em Nassau? Se não, devo dizer também que dias atrás andei de jet ski junto com a Maria. Mas nem foi tão legal assim, o mar tava agitado e não deu pra sentar o cacete na motinha. Fiquei com má impressão, e depois de muito insistir consegui esquema pra mim e pra Johnweyne em CocoCay. Fomos de graça e foi muuuuito bom. Deu pra sentar a mão no acelerador. Era um tour com 7 jets e nós dois ficamos na linha de frente, como 1 e 2, que significa que somos mais rápidos que os outros. A gente nem curtiu, né? Imagina! E o mar tava calmiiiinho, uma água mais azul que da Lagoa Azul (juro!) e várias coisas fodas de se ver, incluindo golfinhos (sem estar em cativeiro acho que eu nunca tinha visto). Foi um dia ótimo. Agora que a gente tá aprendendo a curtir CocoCay com tudo que tem direito.

Em Key West também aproveitamos bastante. Muita, mas muita coisa é de graça pra crewmember. E a gente nem sabia. Mas fomos indo nas coisas e perguntando, e quase nada tinha que pagar, tipo museus, aquarium e blá blá blás. Tiramos muitas fotos boas também.

E o dia que falei que ia pra Cable Beach, nem fui. De última hora me ligaram pra filmar um casamento. Fiquei meio chateado, mas no fim das contas foi divertido, porque chegando lá vi que era um casamento gay. Hahaha e também não posso reclamar muito porque me deram $50 de gorjeta, fora os $200 a mais que vai cair no meu salário por isso. Que delícia, trabalhei 40 minutos pra ganhar $250. Eu faria isso todo dia sem reclamar.

Tem feito muito calor. O verão já chegou de verdade, nervoso. Eu já tô preto, né? Vou chegar em casa, em pleno inverno, preto de sol.

Ai, acho que não quero voltar pra casa. Em casa não tem jet ski; limosine; lancha; ninguém me paga $250 pra trabalhar tão pouco; não tem pôr-do-sol no mar durante a janta, e sequer tem sol, porque dizem que tá chovendo pra kct; não tem Miami pra sair e gastar dinheiro e voltar pra casa triste porque gastou mais do que deveria; não tem Nassau pra sair e voltar pra casa dizendo que não aguenta mais as Bahamas; não tem CocoCay pra usar de graça tudo que os turistas pagam caro pra desfrutar; não tem Key West pra... sei lá, Key West não serve pra nada, mas mesmo assim não tem lá em casa; não tem também gente que você conhece hoje e já considera amigo pra sempre, mesmo sabendo que em poucas semanas você vai perder contato e não fazer mais parte da vida dela (ok, essa é a parte triste, mas mesmo assim não tem lá em casa); não tem os mesmos shows, as mesmas festas, os mesmos eventos pra ver e participar sempre, e reclamar que não aguenta mais, mesmo sabendo que não existe motivo pra reclamar disso. A única coisa que tem em casa e que eu não tenho aqui são as coisas pra vida toda, como família e os melhores amigos. Se desse pra trazer um amigo por semana, ou todos juntos só uma vez em cada contrato, eu morava aqui pra sempre. Juro que tô pensando em extender esse contrato, pra passar mais tempo com as pessoas e coisas daqui, porque já sei que não volto pra esse barco, e sorte de achar outro como este, jamé!

Ainda não fui embora, mas por agora, se eu tiver que definir como foi esse contrato, eu diria que foi perfeito. (seria melhor se mais pessoas legais tivessem tempo livre igual eu, pra sair junto e tals.. mas ok, não reclame!)

Ui, enrolei demais. Eu nem queria falar isso.

Mas já falei que tem muito brasileiro homem nesse barco agora? Antes era só eu e Ricardo, e uma porrada de mulher. Mas agora tem quase nada de mulher e uns 10 piás. Credo! Sem falar que o Ricardo vai embora em 2 dias. Parceiraço, único brasileiro do mesmo departamento que eu, a gente tinha muita coisa em comum nesse barco.

É isso. Falei baboseira demais.

Tiau!